Saúde

Covid-19: “Todo mundo tem que tomar a vacina”, pede Beto Preto

O secretário ainda reforçou a importância do imunizante e a cobertura da vacinação no Estado para a queda do número de casos da doença

Ana Clara
Ana Clara Marçal / Estagiária com informações da RIC Record TV Londrina e supervisão de Rodrigo Sigmura
Covid-19: “Todo mundo tem que tomar a vacina”, pede Beto Preto
Foto: RIC Record TV

20 de outubro de 2021 - 18:07 - Atualizado em 21 de outubro de 2021 - 11:24

Em visita a Londrina, no norte do Paraná, o secretário de Saúde do Estado, Beto Preto, afirmou que todos devem tomar a vacina. Nesta quarta-feira (20), em entrevista ao Balanço Geral, ele também falou sobre a vacinação, a expectativa da não-obrigatoriedade do uso da máscara e a variante Delta.

“Final de setembro batemos 98%, 99% da vacinação da primeira dose ou dose única para a população toda. Quem não tomou vacina foi quem não quis tomar. Também é legítimo, mas eu ainda peço a mudança de atitude, a mudança de pensamento, todo mundo tem que tomar vacina. Aqui em Londrina, vai ter um movimento dos servidores municipais que não querem se vacinar. Olha, pode até ser legítimo, mas a vacina é o que nos trouxe até aqui. […] vamos discutir isso ano que vem, esse ano, tome a vacina. Caso contrário, esse cidadão que não tomou a vacina vai ser presa fácil do vírus. O vírus continua circulando em transmissão comunitária. O que freia é a vacina, a prevenção pura”,

destaca o secretário.

Nesta terça-feira (19), mais de 300 mil doses da vacina desembarcaram no Paraná. Dessas, 228.150 serão destinadas aos adolescentes sem comorbidades. De acordo com Beto Preto, a meta é “dar um salto de um ano, um ano e meio na faixa etária”. Ele ainda disse que a expectativa é que, até o final de novembro e início de dezembro, quase 100% dos adolescentes estejam imunizados com ao menos a 1ª dose.

Casos e mortes

Enquanto Maringá, no noroeste do Estado, com uma população com cerca de 144 mil habitantes a menos que Londrina, registou 21 mortes por Covid-19 em 30 dias e nenhuma há quatro dias, a cidade da região norte chega a 169 óbitos no mesmo período de tempo, sendo dois registrados na terça (19). A comparação, segundo o secretário, deve ser feita com cautela.

“Tem que avaliar o quadro com maior tempo, não dá para falar que um dia, dois dias sem óbitos vá ser uma tendência, tem que esperar uma semana. […] o fato, por exemplo, nós temos hoje: 15 dias iniciais do mês de outubro são bem melhores do que os 15 iniciais do mês de setembro. Nós tivemos uma queda acentuada, consolidada de 70%, em média, internações, novos casos, casos graves, óbitos. Em média, 70%. Isso sim é palpável, o Estado todo.”

comenta Beto Preto.

Durante coletiva na tarde desta quarta-feira (20), o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, também comentou sobre o número de óbitos em Londrina. Segundo Machado, a maioria deles vêm de pessoas idosas, acima de 65 anos, que são internadas e acabam não resistindo à doença.  

Uso de máscara

Nesta terça-feira (19), em entrevista ao Balanço Geral Maringá, o secretário apontou para a possibilidade do uso da máscara deixar de ser obrigatório a partir do início de 2021. A medida deve ser tomada “com calma”, analisando a média móvel no Estado.

“A máscara é um filtro, é uma garantia. Nos ajudou a vir até aqui. Quando o grau de transmissão estava muito forte, ela conseguiu nos ajudar a frear. Por enquanto, não dá para abrir mão. Ali na frente, tendo condição, mantendo a queda, ótimo, nós seremos os primeiros, com transparência, mas com muita cautela, a tomar as medidas necessárias […] mas é importante pensar que nós ainda não temos isso.”

reitera Beto Preto.

Assista: