Política

Vereadora propõe tirar cargos políticos da lista das “recomposições” de salários em Curitiba

Os projetos de lei começaram a tramitar na Câmara de Curitiba no dia 2 deste mês e começam a ser votados na quarta (12) e quinta-feira (13), a partir das 14 horas

Vereadora propõe tirar cargos políticos da lista das “recomposições” de salários em Curitiba
Foto: Rodrigo Fonseca/CMC

10 de janeiro de 2022 - 14:38 - Atualizado em 10 de janeiro de 2022 - 20:37

A vereadora Flávia Francischini (PSL) propôs uma emenda ao projeto que trata da recomposição salarial inflacionária para servidores de Curitiba sugerindo tirar vereadores, prefeitos e outros cargos políticos da lista.

A tramitação dos projetos de lei propõe recomposição de 13,71% para servidores, aposentados, pensionistas, empregados públicos, contratados por processo seletivo simplificado (PSS) e conselheiros tutelares.

Quatro projetos foram assinados pelo prefeito Rafael Greca (DEM) e, as propostas refletem, também, no salário dele, que atualmente é de R$ 27.495,43. Além dos vencimentos do vice-prefeito, secretários e cargos em comissão.

Segundo a vereadora Francischini, o atual momento de retomada da economia, principalmente em razão da pandemia de Covid-19, requer outras prioridades.

“Os mesmos que estão, neste mandato, já detinham conhecimento dos valores quando do pleito eleitoral, bem como que neste considerando que os mesmos que estão, neste mandato, já detinham conhecimento dos valores quando do pleito eleitoral, bem como que neste período de retomada econômica em razão dos efeitos da pandemia do Coronavírus, outras demandas se tornaram prioritárias”,

disse Flavia ao propor a Emenda Supressiva.

Votação

Os projetos de lei começaram a tramitar na Câmara de Curitiba no dia 2 deste mês e começam a ser votados na quarta (12) e quinta-feira (13), a partir das 14 horas. O requerimento para votação foi acatado em uma sessão especial realizada na manhã desta segunda-feira (10), em uma sessão especial.

Foram 30 votos favoráveis, 5 contrários e 1 abstenção. A aprovação estava sujeita ao apoio de pelo menos 20 vereadores – ou seja, à maioria absoluta do plenário. 

A ideia é aplicar a recomposição inflacionária de 13,71%, apurada em 24 meses pelo IPCA, do IBGE. O valor, de acordo com a Casa,  equivale à retomada dos 3,14% (referentes ao período de outubro de 2019 a setembro de 2020), mais a aplicação, sobre esse índice, de 10,25% (de outubro de 2020 a setembro de 2021).

Se forem aprovados, os projetos gerarão impacto anual de R$ 386,5 milhões na folha de pagamento do município, conforme a administração municipal.

Policial, serviços, política, saúde, economia… Tem isso e tudo o que acontece no Paraná no RIC Mais. Clique aqui e mande sua sugestão de pauta.