Política

Quatro pessoas ficam feridas em protesto de servidores contra projeto de lei previdenciária em Araucária

Durante a confusão um servidor público foi atingido por uma bala de borracha e socorrido pelo Siate

Mônica
Mônica Ferreira / Estagiária com supervisão de Andrea Torrente
Quatro pessoas ficam feridas em protesto de servidores contra projeto de lei previdenciária em Araucária
(foto: divulgação/Câmara Municipal)

3 de setembro de 2021 - 15:56 - Atualizado em 3 de setembro de 2021 - 15:58

Dezenas de servidores públicos de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, protestaram na manhã desta sexta-feira (3) em frente à Câmara Municipal contra a votação do projeto de lei 2.404/2021, que altera a alíquota de contribuição previdenciaria dos funcionários municipais. O Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Araucária (Sismmar) é contra a proposta que reduz a taxa salarial.

A manifestação se transformou em tumulto que deixou quatro pessoas feridas. A Guarda Municipal tentou impedir a entrada dos servidores na Câmara para acompanhar a votação. Um dos manifestantes foi atingido por uma bala de borracha e atendido pelo Siate. O portão e algumas janelas do prédio foram quebradas.

“Estávamos hoje em um ato na Câmara Municipal de Araucária onde sofremos violência policial. Começou com o secretário de segurança me agredindo”, relatou uma representante do sindicato num vídeo publicado nas redes sociais.

Homem ferido é retirado de maca

Servidores tentam entrar na Câmara

Em nota, a Câmara dos Vereadores afirmou que “durante a sessão foi dada a palavra para as duas representantes do Fundo Previdenciário” e criticou a atuação dos membros de sindicatos que “no exercício de seu direito à manifestação, agiram com excessiva violência, invadindo as dependências da Câmara bem como tirando o portão do lugar e quebrando os vidros da janela da Câmara”.

“Os agentes da Guarda Municipal de Araucária fizeram bloqueio para que não houvesse maiores danos ao prédio bem como garantir a segurança dos servidores, vereadores e público presente na sessão. Porém o ato de se manifestar pacificamente não foi realizado por parte dos manifestantes que, ao insistirem em invadir o plenário, a Guarda Municipal se viu obrigada a usar força”, continua a nota.

“O direito à manifestação é livre, mas o abuso e descumprimento de normas podem ocasionar danos, como o servidor ferido e o prejuízo financeiro ao erário em ter de desembolsar recursos para a compra e reparo dos itens públicos danificados. O Projeto de Lei nº 2.404/2021 (discutido) visa alterar a alíquota de contribuição previdenciária para se adequar à Emenda Constitucional nº 103/2019. A não adequação nessa emenda prejudica o recebimento de recursos federais”, finaliza o órgão.