Política

Senadores cobram sede do TRF no Paraná após MG ‘furar fila’

Depois de ser “driblada” por mineiros, bancada paranaense se coça para defender sede do TRF no Paraná

Senadores cobram sede do TRF no Paraná após MG ‘furar fila’
Senadores cobram sede do TRF no Paraná após MG 'furar fila' (Foto: Reprodução/RIC Mais)

6 de dezembro de 2021 - 21:57 - Atualizado em 6 de dezembro de 2021 - 21:57

O Congresso Nacional aprovou em 2013 uma emenda constitucional que criava mais quatro sedes do Tribunal Regional Federal nas seguintes capitais: Curitiba (PR), Belo Horizonte (MG), Salvador (BA) e Manaus (AM). A ideia era seguir exatamente esta ordem na hora de implementa-las.

Entretanto, o Brasil é um país em que ninguém respeita a constituição e a vida segue normalmente. Nem os tribunais seguem a lei maior. A prova disso: no projeto, Curitiba vinha antes, mas os mineiros nos passaram para trás. Numa articulação da bancada mineira, foi apresentada uma nova lei, aprovada a toque de caixa, para criar o Tribunal de Minas.

Diante da situação, coube agora aos senadores paranaenses Alvaro Dias e Oriovisto Guimarães, ambos do Podemos, fazer o que outros senadores e deputados não fizeram: apresentar a proposta de criação do TRF-7, na capital paranaense. Caso a proposta seja aceita, entre os pontos positivos da implantação de um Tribunal Federal em Curitiba é possível levantar a questão da rapidez nas decisões que os paranaenses precisam, além da diminuição dos custos de tais práticas.

Hoje os advogados viajam até Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, para defender os paranaenses em processos federais, por exemplo. A proposta dos senadores paranaenses prevê justamente reacomodar estes servidores a fim de não elevar gastos públicos. Diante das mudanças que esse projeto pode gerar no dia a dia dos paranaenses, cabe agora a população cobrar os senadores para que não deixem o projeto voltar para a gaveta onde ele estava até agora.

Policial, serviços, política, saúde, economia… Tem isso e tudo o que acontece no Paraná no RIC Mais. Clique aqui e mande sua sugestão de pauta.