Política

Quem é Ana Júlia, a suplente que deve entrar no lugar de Renato Freitas

A jovem, que pode ocupar o lugar do vereador que invadiu uma igreja, ficou famosa ao ocupar escolas públicas em 2016

Quem é Ana Júlia, a suplente que deve entrar no lugar de Renato Freitas

23 de junho de 2022 - 19:18 - Atualizado em 23 de junho de 2022 - 22:05

A estudante Ana Júlia Ribeiro pode se tornar vereadora, mesmo dizendo que não quer ser. A petista é a primeira suplente da legenda na Câmara de Curitiba, e deve ser convocada nos próximos dias para assumir a cadeira deixada pelo correligionário Renato Freitas, cassado por invadir uma igreja em fevereiro desse ano. Em entrevista à Jovem Pan News, ela demonstrou desconforto em assumir o mandato nessas condições, mesmo assim, já tem na ponta língua como deve atuar. “Eu seguirei nesta mesma atuação. Na defesa das mesmas pautas, da educação pública, da moradia, da segurança alimentar, entre tantas outras”, disse sem hesitar.

Articulada, a jovem de 21 anos cursa simultaneamente Direito (PUC-PR) e Filosofia (UFPR), e é muito bem relacionada com figurões do PT paranaense. É afilhada política da ex-vice-prefeita de Curitiba, Mirian Gonçalves, e querida pela cúpula da legenda. É considerada uma das principais apostas do partido pro futuro.

Origem no movimento estudantil

Ana Júlia é uma liderança forjada no movimento estudantil. Dona de uma voz doce, ela gritou alto em 2016, quando liderou a ocupação de várias escolas públicas em uma mobilização que ficou conhecida como “Primavera Secundarista”. Na época, alunos de várias partes do país se trancaram em colégios com críticas ao projeto “Escola sem Partido” e a uma medida provisória que previa mudanças no Ensino Médio. Além disso, pediam o fim da regulamentação de um teto de gastos para o governo.

Sagaz, Ana Júlia tomou a frente das mobilizações e deixou pra trás lideranças das entidades estudantis dirigidas pelo PCdoB. Roubou a cena quando fez uma discurso forte na tribuna da Assembleia Legislativa do Paraná (foto), acusando os deputados de estarem com “as mãos sujas de sangue”, depois da morte do adolescente Lucas Mota, que estava dentro de uma escola ocupada.

Boas relações partidárias

A possível futura vereadora trabalha Instituto de Defesa da Classe Trabalhadora (DECLATRA), presidido pelo advogado Wilson Ramos Filho, o Xixo, que também é sócio do Centro Universitário UniBrasil. Xixo, é amigo pessoal de Lula, aliás, foi no apartamento dele que o ex-presidente foi comemorar a liberdade assim que deixou a prisão em Curitiba. Orgulhoso, o jurista faz questão de postar mensagens de apoio a Ana Júlia nas redes sociais.

Quem também demonstra grande carinho pela jovem é Mirian Gonçalves, que a conheceu quando ainda era vice-prefeita de Curitiba, justamente durante os protestos nas escolas.

Diferentemente de Renato Freitas, que faz críticas públicas à cúpula petista, Ana Júlia tem bom trânsito com o chamado “PT rico”, composto por dirigentes partidários poderosos, alguns com funções destacadas no plano nacional e com missões na campanha presidencial de Lula deste ano. Entre a militância, alguns a chamam de “nova Gleisi Hoffmann”, em referência a deputada federal e presidenta nacional da legenda.

Como se vê, a cidade está prestes a ganhar uma vereadora com forte ideologia e boa articulação. “Se estão cassando o Renato pelos motivos políticos, e pelo o que ele representa, a gente vai continuar defendendo as mesmas bandeiras.”, avisa. Os dias na Câmara de Curitiba ficarão ainda mais movimentados. A conferir.

Militantes importantes do PT compartilham mensagens da jovem política