Política

Parlamentar cristã é julgada na Finlândia por chamar homossexualidade de “distúrbio”

Paivi Rasanen negou qualquer irregularidade e disse que as acusações do promotor eram infundadas

Reuters
Reuters
Parlamentar cristã é julgada na Finlândia por chamar homossexualidade de “distúrbio”
Parlamentar finlandesa Paivi Rasanen durante sessão de tribunal em Helsinque

24 de janeiro de 2022 - 10:48 - Atualizado em 24 de janeiro de 2022 - 11:26

HELSINQUE (Reuters) – Uma parlamentar democrata-cristã finlandesa e ex-ministra do Interior foi julgada nesta segunda-feira (24) por agitação contra homossexuais por comentários em que descreveu a homossexualidade como um distúrbio de desenvolvimento e um pecado.

Em um caso sem precedentes sobre liberdade de expressão, a corte distrital de Helsinque também precisa decidir se citar a Bíblia pode ser considerado um crime em alguns casos na Finlândia.

Paivi Rasanen, médica e parlamentar por um pequeno partido democrata-cristão desde 1995, chamou a homossexualidade de “distúrbio de desenvolvimento” em uma carta de opinião online publicada em 2004 e “uma vergonha e um pecado”, pelo Twitter, em 2019, disse o promotor.

Em uma transmissão da rádio pública finlandesa Yle em 2019, Rasanen descreveu a homossexualidade como “degeneração genética”, acrescentou o promotor, denunciando-a com três acusações de agitação contra homossexuais.

Rasanen negou qualquer irregularidade e disse que as acusações do promotor eram infundadas.

“Eu sinto grande responsabilidade porque estou ciente que este caso é histórico para a liberdade de expressão e a liberdade religiosa”, disse ela à Reuters em um e-mail antes do julgamento.

“Obviamente, cristãos que se atêm aos ensinamentos da Bíblia têm o direito de participar do debate público”, disse.

Os promotores dizem que Rasanen deve ser multada, e a emissora pública, ordenada a remover partes do programa de rádio.

(Reportagem de Anne Kauranen e Essi Lehto)