Política

Fala de Moro divide União Brasil e integrantes querem cancelamento de filiação

Lideranças do partido preparam um documento ao colegiado do União Brasil pedindo a impugnação da filiação de Moro

Reuters
Reuters
Fala de Moro divide União Brasil e integrantes querem cancelamento de filiação
Ex-juiz Sergio Moro

1 de abril de 2022 - 20:29 - Atualizado em 1 de abril de 2022 - 21:01

Por Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) – Um grupo de 8 lideranças do União Brasil, que representa quase a metade da Executiva da sigla, prepara um pedido de cancelamento da filiação Sergio Moro, após declarações nesta sexta-feira (01) do ex-juiz e ex-ministro da Justiça que não estava desistindo “de nada” e que não concorreria a deputado federal.

Segundo uma fonte ligada a essa ala, o pronunciamento de Moro nesta sexta trouxe mal-estar uma vez que sua filiação ao partido tinha como pré-condição que ele não se candidatasse à Presidência da República.

Na véspera, o ex-juiz chegou a soltar uma nota afirmando que abria mão “nesse momento” da pré-candidatura. Mas ao declarar nesta sexta que não estava desistindo “de nada” acabou azedando o clima. O grupo que prepara o pedido tem entre suas principais lideranças o secretário-geral do União Brasil, o ex-prefeito de Salvador ACM Neto, o governador Ronaldo Caiado (GO), o senador Davi Alcolumbre, o deputado Efraim Filho, primeiro secretário da sigla, e de José Agripino Maia.

Esse grupo, que detém 49% dos votos da Executiva, prepara um documento ao colegiado pedindo a impugnação da filiação de Moro, a ser encaminhado nas próximas horas. Regra estatutária do novo partido, criado a partir da fusão entre o DEM e o PSL, exige que as decisões partidárias precisam ser tomadas de forma colegiada, e com a aprovação de ao menos 60% dos votos.

Veja ainda: Beto Preto deixa a Secretaria de Saúde do Paraná

Ainda que o pronunciamento de Moro tenha sido acertado com o presidente do União, Luciano Bivar, não foi acertado com a grande maioria dos membros da legenda. “O Bivar não está mais no PSL”, disse a fonte, que pediu para não ser identificada, ao lembrar da exigência de decisões conjuntas.

Em nota à imprensa divulgada no fim da tarde desta sexta-feira, o deputado Alexandre Leite, secretário-executivo do partido em São Paulo, reafirmou que “a filiação do ex-juiz Sergio Moro se deu com a concordância de um projeto pelo Estado de São Paulo, isto é, deputado estadual, deputado federal ou, eventualmente, Senado“.

Na nota, Leite alerta que “em caso de insistência em um projeto nacional, o partido vai impugnar a ficha de filiação de Moro”.

Nesta sexta, no entanto, Moro disse que não desistiu de nada e descartou candidatura à Câmara dos Deputados.

“Preciso esclarecer a todos que eu não desisti de nada, muito menos do meu sonho de mudar o Brasil. Pelo contrário, sigo firme na construção de um projeto para o país“, disse o ex-juiz nesta tarde.

(Reportagem adicional de Ricardo Brito)