Política

CPI da Covid convoca advogada eleitoral de Bolsonaro para explicar relação com lobistas

A CPI também aprovou a reconvocação do motoboy contratado pela empresa VTC Log, que foi beneficiada por majorações irregulares em contratos

Reuters
Reuters
CPI da Covid convoca advogada eleitoral de Bolsonaro para explicar relação com lobistas
Reunião da CPI da Covid no Senado

31 de agosto de 2021 - 13:59 - Atualizado em 31 de agosto de 2021 - 14:42

BRASÍLIA (Reuters) – A CPI da Covid aprovou nesta terça-feira (31) a convocação de Karina Kufa, advogada para temas eleitorais do presidente Jair Bolsonaro, para explicar sua atuação em favor de lobistas que atuaram no Ministério da Saúde para a Precisa Medicamentos, intermediária da compra da vacina indiana Covaxin.

O autor do requerimento, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) defendeu a necessidade de convocação de Karina pelo fato de a advogada ter aparecido em diversos diálogos com o lobista Marconny Faria, que ajudou a Precisa a vencer licitações suspeitas no Ministério da Saúde.

“Antes que haja alguma reação por parte da base de apoio ao governo, não estamos convocando a senhora Karina Kufa por ela ser advogada da família do presidente da República. Estamos querendo convocar a senhora Karina Kufa pelos notórios diálogos que ela possui com vários lobistas que estão sendo investigados por esta CPI. Diálogos e tráfico de influência em favor da empresa Precisa”, justificou Randolfe.

Kufa é advogada de Bolsonaro em questões eleitorais e atuou também na frustrada tentativa de criar o Aliança pelo Brasil, partido que o presidente pretendia fundar mas acabou por não ir adiante. Próxima de toda a família, a advogada é vista com frequência no Palácio do Planalto e fez mais de uma viagem internacional com Bolsonaro.

Procurada pela Reuters, a advogada ainda não respondeu aos contatos.

A CPI aprovou ainda a reconvocação de Ivanildo Gonçalves da Silva, motoboy contratado pela empresa VTC Log, que prestava serviço ao Ministério da Saúde, inclusive de transporte de vacinas, e foi beneficiada por majorações irregulares em contratos. Reportagem do “Jornal de Brasília” mostrou que o motoboy sacou um total de R$ 4,74 milhões para a VTC Log.

Silva deveria ter prestado depoimento nesta terça (31), mas foi liberado de comparecer por uma decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal Nunes Marques. A CPI recorreu da decisão e pretende ouvir o motoboy ainda na quarta-feira, se for possível.

Por Lisandra Paraguassu