Política

Consumo de bebida alcoólica em via pública será discutido por vereadores de Curitiba

A audiência será realizada nesta quinta (17) e visa avaliar o impacto do consumo em vias e praças públicas

Consumo de bebida alcoólica em via pública será discutido por vereadores de Curitiba
(Foto: Carlos Costa/CMC)

16 de fevereiro de 2022 - 18:44 - Atualizado em 16 de fevereiro de 2022 - 18:56

Acontecerá, nesta quinta-feira (17), uma audiência pública da Comissão de Direitos Humanos, Defesa da Cidadania e Segurança Pública da Câmara Municipal de Curitiba (CMC) para avaliar o impacto do consumo de bebidas alcoólicas em vias e praças públicas da capital. O objetivo do debate é buscar soluções para os conflitos que envolvem moradores, comerciantes e consumidores.

“O objetivo da audiência é ouvir todos os envolvidos e entender que não é uma guerra entre moradores e comerciantes, ao contrário. O morador defende e tem o direito de ter o seu sossego garantido, o empresário possui o direito de trabalhar com tranquilidade e o consumidor tem o direito de se reunir onde achar conveniente. O objetivo da audiência é criar esse espaço de debate para que todos juntos encontrem uma solução equilibrada”, 

afirmou o presidente da Comissão de Direitos Humanos, o vereador Jornalista Márcio Barros (PSD).

De acordo com a CMC, a ideia é debater sobre temas como a eficácia da limitação de horário para o funcionamento dos bares e a quem compete a limpeza desses locais e a instalação de banheiros, por exemplo.

Efeito da pandemia?

Para o presidente da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar), Fábio Aguayo, o “setor tem cobrado dos órgãos responsáveis a prevenção e a segurança” do patrimônio material e das pessoas que frequentam os estabelecimentos.

“Infelizmente, essas duas últimas premissas não estão a contento”,

comentou Aguayo.

De acordo com o presidente, diariamente os estabelecimentos são alvos de atos de vandalismo, como arrombamentos e assaltos, e durante a pandemia, passaram a ser “permanentemente fiscalizados, multados e marginalizados”. Diante disso, Aguayo espera que o debate na CMC não seja novamente para “criminalizar” o setor.

“Ou [torná-lo] ainda mais marginalizado com situações que não estão sob controle total da categoria e muito menos a responsabilidade exclusiva”,

ressaltou o presidente.

Para quem deseja acompanhar, pode assistir o debate, a partir das 14h, através das redes sociais da CMC.

Policial, serviços, política, saúde, economia… Tem isso e tudo o que acontece no Paraná no RIC Mais. Clique aqui e mande sua sugestão de pauta.