Política

Bolsonaro desiste de ir à cúpula na Colômbia e Mourão vai representá-lo

O governo não deu uma justificativa oficial para a desistência do presidente

Reuters
Reuters
Bolsonaro desiste de ir à cúpula na Colômbia e Mourão vai representá-lo
Presidente Jair Bolsonaro

25 de janeiro de 2022 - 14:19 - Atualizado em 25 de janeiro de 2022 - 14:59

BRASÍLIA (Reuters) – O presidente Jair Bolsonaro desistiu de ir à Cartagena (Colômbia) para participar da Cúpula do Prosul,  Fórum para Progresso e Desenvolvimento da América do Sul, e decidiu enviar como representante do governo brasileiro o vice-presidente Hamilton Mourão.

“O presidente da República, Jair Bolsonaro, não irá a Cartagena para a III Cúpula do Prosul. O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, participará da reunião”,

confirmou o Itamaraty, em resposta à Reuters por email.

A cúpula do Prosul está marcada para ocorrer na quinta-feira (27). Na semana passada, a chancelaria brasileira chegou a confirmar a ida de Bolsonaro à reunião em comunicado de credenciamento de imprensa.

O governo não deu uma justificativa oficial para a desistência do presidente. Um ministro palaciano ouvido pela Reuters creditou a decisão à morte da mãe do presidente, ocorrida na semana passada, e à realização da missa de 7º dia, marcada para a quinta-feira, mesmo dia da cúpula.

Bolsonaro voltou do Suriname na sexta-feira (21) e cancelou uma viagem à Guiana para comparecer ao enterro de dona Olinda, que havia sido internada na quarta-feira(19), em Eldorado (SP).

O presidente voltou a Brasília no sábado e teve agenda normal na manhã de segunda-feira (17), mas cancelou os compromissos da tarde e suspendeu toda a agenda oficial até quarta. De acordo com um auxiliar, para respeitar o luto. No entanto, está despachando normalmente no Palácio do Planalto.

(Reportagem de Lisandra Paraguassu e Ricardo Brito)