Notícias

Volta às aulas: vacinação também exige atenção no retorno escolar; entenda

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Volta às aulas: vacinação também exige atenção no retorno escolar; entenda
Volta às aulas: vacinação também exige atenção no retorno escolar

12 de fevereiro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 12 de fevereiro de 2019 - 00:00

Volta às aulas: vacinação também exige atenção no retorno escolar

Fevereiro é o mês de volta às aulas e, além do cuidado com a lista de materiais, uniformes e escolha do transporte, os pais devem se atentar à saúde. E não é apenas ao regular os horários de sono, mas também com as vacinas das crianças e adolescentes para que elas tenham foco e ainda mais sucesso no novo ano letivo!

Neste ano, passou a vigorar em todo o Paraná a lei estadual nº 19.534, que torna obrigatória a apresentação de carteirinha de vacinação de alunos com idade até 18 anos, no ato da matrícula, em escolas públicas e privadas. Muito importante para garantir a saúde dos alunos e até mesmo melhores resultados na vida escolar e social.

Para a médica pediatra Stela Erika Kudo, da Unimed Laboratório, a medida deve ajudar a aumentar o índice de imunização, que está em queda, mas ainda é a melhor forma de proteção contra doenças sérias como meningite meningocócica, poliomielite, catapora, gripe e pneumonia, que podem até levar a óbito. “Todos os momentos merecem atenção, mas o retorno à escola, exige dos pais um cuidado maior com as saúde dos filhos, pois muitas crianças em um mesmo ambiente acaba facilitando a proliferação de vírus e bactérias”, explica.

Ela ainda esclarece que a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) e a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) possuem calendários de vacinação com recomendações que complementam o Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde, abrangendo também vacinas que atualmente só estão disponíveis na rede privada para crianças e jovens, como as da meningite B e pneumocócica 13 valente, que ampliam a proteção contra alguns sorotipos não presentes nas vacinas do posto.

O infectologista da Unimed Laboratório, Jaime Rocha alerta que os profissionais que trabalham em escolas também devem estar com as vacinas em dia, pois podem pegar e transmitir doenças, mesmo quando não as manifestam.

Sobre as vacinas disponíveis no mercado, Rocha lembra que todas são aprovadas e submetidas a testes rigorosos ao longo das diferentes fases de ensaios clínicos e seguem avaliadas constantemente. As reações, segundo o médico infectologista, quando ocorrem, são leves e temporais, como dor no local da aplicação ou febre baixa. Efeitos colaterais graves são raros, sendo todos notificados e investigados imediatamente.

O post Volta às aulas: vacinação também exige atenção no retorno escolar apareceu primeiro em TOPVIEW.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.