Notícias

Violência se espalha pelo centro econômico da África do Sul após prisão de Zuma

Reuters
Reuters

11 de julho de 2021 - 14:54 - Atualizado em 11 de julho de 2021 - 14:54

JOHANESBURGO (Reuters) – Lojas foram saqueadas durante a noite, um trecho da rodovia M2 foi fechado e manifestantes empunhando bastões marcharam pelas ruas de Johanesburgo neste domingo, enquanto os atos esporádicos de violência após a prisão do ex-presidente sul-africano Jacob Zuma se espalham pelo principal pólo econômico do país.

A agitação havia se concentrado principalmente na província natal de Zuma, KwaZulu-Natal (KZN), onde ele começou a cumprir uma sentença de 15 meses por desacato ao tribunal na noite de quarta-feira.

A sentença de Zuma e a subsequente prisão foram vistas como um teste para saber se a nação pós-apartheid consegue aplicar a lei de forma justa –mesmo contra políticos poderosos– 27 anos depois que o Congresso Nacional Africano (ANC) tirou do poder os governantes da minoria branca para inaugurar a democracia no país.

Mas a prisão irritou os apoiadores de Zuma e expôs rachas dentro do ANC.

A polícia afirma que os criminosos estavam aproveitando a raiva para roubar e causar danos. O órgão de inteligência nacional NatJOINTS advertiu que aqueles que incitam violência podem enfrentar acusações criminais.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.