Guilherme
Guilherme Becker / Editor

14 de agosto de 2019 - 00:00

Atualizado em 14 de agosto de 2019 - 00:00

Notícias

Vídeo: Padre é suspenso por um ano após ‘batismo violento’

Durante a consagração do sacramento a mãe do bebê tentou impedir os movimentos agressivos do padre

Vídeo: Padre é suspenso por um ano após ‘batismo violento’
Imagens do vídeo do padre realizando o batismo violento são fortes (FOTO: ILUSTRAÇÃO/ PIXABAY)

Um padre, da Igreja Ortodoxa da Rússia, foi banido por um ano da instituição após a repercussão de um vídeo em que ele realiza o batismo de uma criança de um ano. Nas imagens, registradas no último dia 10, na cidade de Gatchina, na região de Leningrado, o sacerdote aparece tentando afundar o bebê a força. Em um momento a mãe até tenta impedir.

Após o episódio, o padre se defendeu e disse que a atitude foi normal. Entretanto, a Igreja Ortodoxa emitiu um comunicado informando que o sacerdote, conhecido como Foty Necheporenko, foi afastados das atividades por um ano.

Padre realiza batismo violento

As imagens do batismo violento de um bebê, em uma cidade próximo a São Petersburgo na Rússia, ganharam grande repercussão nas redes sociais. O padre pega a criança, de apenas um ano no colo, e na tentativa de realizar o mergulho da cabeça para o batizado acaba sendo agressivo

Após algumas tentativas sem sucesso, e com muito choro do bebê, o padre força o mergulho do pequeno na bacia com água benta. Inconformada com a atitude do sacerdote, a mãe da criança se aproxima e tenta retirar a criança das mãe de Foty, porém, o homem continua o ato até o final.

Assista ao vídeo do padre no batismo violento:

Padre é suspenso, mas afirma que atitude foi normal

De acordo com a imprensa russa, logo após o episódio a Igreja Ortodoxa emitiu um comunicado pedindo desculpas à família do bebê e informando que atitudes seriam tomadas. Na sequência, o sacerdote foi suspenso dos deveres ministeriais, além de ser proibido de realizar bênçãos por um ano.

Entretanto, apesar do reconhecimento do clero, o padre Faty não reconheceu que agiu de maneira irregular. O sacerdote contou que a família desconhece as regras da igreja, por isso estranhou o rito.