Notícias

Vídeo mostra agressão contra médica em Francisco Beltrão

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

30 de maio de 2017 - 00:00 - Atualizado em 30 de maio de 2017 - 00:00

Confusão aconteceu na manhã de segunda-feira (Foto: Reprodução

Secretária de Saúde e funcionários afirmam que pacientes partiram para cima da médica; elas negam

Um vídeo compartilhado pelo WhatsApp mostra uma confusão entre uma médica e duas pacientes dentro da Unidade Básica de Saúde do Bairro Padre Ulrico, em Francisco Beltrão, na região sudoeste do Paraná. O caso foi registrado na delegacia da cidade e aconteceu na manhã de segunda-feira (29).

Segundo funcionários da unidade, duas mulheres estiveram no local no início da manhã e retornaram mais tarde exigindo atendimento. A consulta delas, porém, já teria sido chamada três vezes enquanto elas não estavam no local, e a médica já estava encerrando seu turno.

Elas então teriam entrado no consultório durante o atendimento da médica a outro paciente, exigindo consulta para uma criança. Ainda conforme os funcionários, a profissional pediu que elas aguardassem do lado de fora.

Uma das mulheres teria ficado irritada e começado a dar chutes e socos na porta. Os funcionários afirmam que, quando a médica pediu que ela se retirasse, as duas partiram para cima da profissional. As imagens mostram funcionários e outras pessoas tentando conter a situação.

Aline Biezus, secretária de Saúde de Francisco Beltrão, confirmou a versão dos funcionários. Segundo ela, mãe e filha preencheram a ficha para o atendimento de uma criança entre 7h30 e 8h e logo depois deixaram a unidade. Por volta das 10h, elas teriam retornado, mas nesse intervalo a criança que receberia atendimento teria sido chamada algumas vezes.

A família exigiu que o atendimento fosse feito, mas a médica estava encerrando o turno e pediu que elas voltassem no dia seguinte.

Segundo a Secretaria de Saúde, a polícia foi acionada e um Boletim de Ocorrência foi registrado. A médica sofreu algumas escoriações e realizou exame de corpo de delito. Além disso, a profissional solicitou transferência para outra unidade.

Uma das mulheres envolvidas falou com a imprensa local e disse que as agressões partiram da médica. Segundo ela, as duas apenas se defenderam.

Leia também
Quase 70% dos médicos e enfermeiros já sofreram algum tipo de violência nas UPAs

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.