Internacionais

Vídeo: nova espécie de tubarão que anda é descoberto por pesquisadores; assista!

Os tubarões usam suas barbatanas para caminhar sobre pedras, recifes e até pelo fundo do mar

Caroline
Caroline Berticelli / Editora com informações do site EarthSky
Vídeo: nova espécie de tubarão que anda é descoberto por pesquisadores; assista!
Os animais andam com as barbatanas. (Foto: Ilustrativa/Pixabay)

3 de fevereiro de 2020 - 00:00 - Atualizado em 3 de fevereiro de 2020 - 00:00

Uma equipe internacional de pesquisadores descobriu quatro novas espécies de tubarões tropicais que usam suas barbatanas para caminhar pelo oceano do norte da Austrália e da Nova Guiné. As imagens são impressionantes! (Veja vídeo abaixo)

Segundo o site EarthSky, Christine Dudgeon, bióloga da Universidade de Queensland, publicou o estudo sobre a descoberta no dia 21 de janeiro de 2020, na revista Marine & Freshwater Research

Tubarões que andam não são perigosos 

Ela observou os animais por 12 anos para concluir que tubarões com padrões ornamentados, que se alimentam de pequenos peixes e invertebrados, usam suas barbatanas para caminhar sobre pedras, recifes e até pelo fundo do mar.

Ainda conforme a pesquisadora, os chamados tubarões ambulantes medem, em média, menos de um metro de comprimento e não oferecem perigo aos humanos. No entanto, sua habilidade é um diferencial na hora da caça: 

“Sua capacidade de suportar ambientes com pouco oxigênio e caminhar nas barbatanas lhes proporciona uma vantagem notável sobre suas presas de pequenos crustáceos e moluscos”, declara Dudgeon no comunicado.

Tubarões evoluíram após permanecerem geneticamente isolados

Dudgeon aponta que as “novas espécies evoluíram depois que os tubarões se afastaram de sua população original, ficaram geneticamente isolados em novas áreas e se desenvolveram em novas espécies”.

tubarao-que-anda-descoberto-pesquisadores

Foto: Reprodução/Youtube UQ Faculty of Medicine

Os tubarões podem ter se movido nadando ou andando em suas barbatanas, mas também é possível que eles tenham pego carona em recifes que se deslocam para o oeste através do topo da Nova Guiné, cerca de dois milhões de anos atrás.

A pesquisadora declarou que acredita que existam mais espécies de tubarões que andam à espera de serem descobertas.

Veja o vídeo:

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.