Notícias

Trump e Biden discordam sobre reação ao coronavírus em eventos televisionados

Reuters
Reuters
Trump e Biden discordam sobre reação ao coronavírus em eventos televisionados
Restaurante de Tampa, na Flórida, com televisores ligados em eventos de Trump e Biden

16 de outubro de 2020 - 08:38 - Atualizado em 16 de outubro de 2020 - 08:40

Por Steve Holland e Michael Martina

MIAMI/FILADÉLFIA (Reuters) – O candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, criticou na quinta-feira o que classificou como uma reação “de pânico” do presidente Donald Trump à pandemia de coronavírus, enquanto Trump defendeu sua abordagem contra uma crise que já matou mais de 216 mil pessoas nos Estados Unidos.

Os rivais que vão disputar a eleição em 3 de novembro falaram em fóruns populares simultâneos transmitidos por redes de televisão diferentes, depois que um debate marcado para o mesmo dia foi cancelado por causa do diagnóstico de Covid-19 de Trump.

O confronto em telas separadas foi um lembrete contundente das muitas mudanças na campanha decorrentes de uma pandemia que já levou mais de 18 milhões de pessoas a depositarem suas cédulas de forma antecipada, mais de duas semanas antes da data da eleição.

Biden, que falou a eleitores da Filadélfia no canal ABC, culpou o presidente republicano por ocultar a letalidade do vírus.

“Ele disse que não contou a ninguém por temer que os americanos entrassem em pânico”, disse Biden. “Os americanos não entram em pânico. Ele entrou em pânico”.

Trump defendeu tanto sua reação à pandemia quanto sua conduta pessoal, inclusive ter realizado um evento no Jardim Rosa da Casa Branca no qual poucas pessoas usaram máscaras ou praticaram o distanciamento social, o que fez com que muitos dos presentes contraíssem a doença.

“Ei, eu sou presidente. Tenho que ver gente, não posso ficar no porão”, disse Trump na rede NBC diante de uma plateia de eleitores ao ar livre em Miami, criticando Biden implicitamente por ficar meses sem fazer campanha em meio ao desenrolar da pandemia.

Ele não respondeu perguntas sobre a última vez em que teve um exame negativo antes de contrair o vírus, dizendo não se lembrar exatamente.

Trump, que interrompeu Biden agressivamente durante um debate caótico duas semanas atrás, mostrou pouco interesse em mudar seu tom beligerante, discutindo frequentemente com a moderadora Samantha Guthrie.

Ele disse que “ouviu histórias diferentes” sobre a eficiência das máscaras, embora os especialistas de saúde de seu próprio governo tenham dito que usá-las é essencial para impedir a disseminação do vírus.

Os eleitores estão tentando evitar filas no dia da votação para se proteger, já que as infecções de coronavírus e as hospitalizações continuam a aumentar, mas também para ter certeza de que seus votos contarão.

(Reportagem adicional de Lawrence Hurley, Jason Lange, Trevor Hunnicutt e Chris Kahn em Nova York e Doina Chiacu e James Oliphant em Washington)

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG9F0ZN-BASEIMAGE