Notícias

TRF derruba liminar que reduzia vazão para hidrelétrica de Belo Monte

Reuters
Reuters
TRF derruba liminar que reduzia vazão para hidrelétrica de Belo Monte
Área do rio Xingu inundada para a construção da usina de Belo Monte

28 de julho de 2021 - 16:44 - Atualizado em 28 de julho de 2021 - 16:45

RIO DE JANEIRO (Reuters) – O Tribunal Regional Federal da 1ª região atendeu a pedidos da União e da Norte Energia e suspendeu a liminar que determinava a redução da vazão da hidrelétrica Belo Monte, no rio Xingu (PA), para a geração de energia, conforme decisão do desembargador Francisco de Assis Betti vista pela Reuters.

Em momento de crise hidrelétrica no país, a suspensão da vazão poderia causar uma perda de 1.800 MWh médios em 2022, sendo que entre fevereiro e março –período em que a usina funciona à plena carga– o impacto seria de 6.000 MWh médios em cada mês, segundo cálculos divulgados anteriormente pela Norte Energia, concessionária de Belo Monte.

A liminar, obtida pelo Ministério Público Federal, havia suspendido um acordo fechado entre a Norte Energia e o órgão ambiental federal Ibama, em fevereiro, para garantir o desviode 80% das águas do rio Xingu para as turbinas da usina.

O desembargador citou em sua decisão o agravamento do cenário de atendimento de energia no Brasil, tendo em vista a crise hídrica, incluindo impacto financeiro de 500 milhões de reais.

Pela liminar derrubada, a hidrelétrica ficava obrigada a aplicar um hidrograma provisório, liberando mais água para comunidades na região da Volta Grande do Xingu até apresentação estudos técnicos suficientes sobre os impactos dodesvio do rio.

A Norte Energia tem como principais sócios empresas da estatal Eletrobras e elétricas como Neoenergia, Cemig, Light, além da Vale e de fundos de pensão.

A concessionária não comentou o assunto imediatamente.

(Por Marta Nogueira; texto de Roberto Samora)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH6R1J8-BASEIMAGE