Notícias

TJ nega recurso de ex-vereadora Kátia Dittrich, acusada de ‘rachadinha’

Com jugamento, TJ mantém a condenação da vereadora e de seu marido, Marcos Withers, pela apropriação indevida dos salários de assessores de seu gabinete

Giselle
Giselle Ulbrich
TJ nega recurso de ex-vereadora Kátia Dittrich, acusada de ‘rachadinha’
(Foto: Arquivo / CMC)

27 de agosto de 2021 - 20:49 - Atualizado em 27 de agosto de 2021 - 20:49

A 2.ª Câmara Criminal, do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), rejeitou recurso da ex-vereadora de Curitiba, Kátia Dittrich (SD), e do marido dela, Marcos Pinheiro Withers, confirmando a condenação de ambos por esquema de “rachadinha” na Câmara Municipal de Curitiba.

A ex-vereadora, conhecida como “Kátia dos Animais de Rua”, e o marido foram condenados em fevereiro de 2020, pela 11ª Vara Criminal, por exigirem parte dos salários de assessores do gabinete. Kátia pegou cinco anos e seis meses de prisão e Marcos foi condenado a cinco anos por concussão.

Os dois entraram com recurso no TJPR, alegando falta de provas e inépcia da denúncia, já que, no entender dele, “os testemunhos prestados em Juízo não merecem credibilidade, porque contraditórios e orquestrados com o intuito de prejudicar os acusados”. Porém a Justiça rejeitou todos os argumentos da defesa.

Rachadinha

Assessores e funcionários do gabinete da vereadora protocolaram, tanto na Câmara Municipal, quanto no Ministério Público do Paraná, uma denúncia contra Kátia, informando que ela exigia parte dos salários dos servidores, sob ameaça de demissão.

O valor a ser “recolhido” dependia do valor do salário de cada um. Um dos assesssores chegou a anexar na documentação cópia de comprovante bancário, provando que saiu R$ 1mil reais de sua conta direto para a conta bancária da vereadora.

Inicialmente Kátia negou a acusação. Depois das investigações, a Comissão Processsante da Câmara recomendou a cassaçãodo mandato da vereadora, que recorreu e anulou a decisão na Justiça. Diante de toda a polêmica, ela não concorreu às eleições de 2020.