Notícias

Testemunha do caso do jogador Daniel foi ameaçada pelo principal suspeito

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

1 de novembro de 2018 - 00:00 - Atualizado em 1 de novembro de 2018 - 00:00

Edison Brittes confessou que matou o jogador Daniel no dia 27 de outubro de 2018 (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

“O que que você está fazendo aqui? Cala boca, vaza daqui, senão você é o próximo”, teria dito Edison Brittes

Uma testemunha das agressões que resultaram na morte do jogador Daniel Corrêa foi ameaçada por Edison Brittes no dia do crime. “O que que você está fazendo aqui? Cala boca, vaza daqui, senão você é o próximo”, teria dito o empresário suspeito no sábado (27), de acordo com o advogado Jacob Filho.

A testemunha, assim como outras pessoas, tentou pular o muro da residência da família quando a confusão começou, porém não conseguiu e permaneceu no local. Ainda segundo Jacob, a esposa do suspeito – Cris Brittes – que aparece nas fotos dormindo ao lado do jogador não se envolveu na agressão e estava “desesperada” junto com a filha Allana Brittes.

Convidados testemunham Daniel Corrêa ser espancado

“Assim que as testemunhas entram no quarto, se deparam com o Edison Brittes em cima do Daniel, agredindo ele, segurando ele pelo pescoço e dando socos e pontapés. Nesse momento, o Daniel dizendo “Não me mata, não me mata”, só de cueca e camiseta. Então, as outras três pessoas entram no quarto para ajudar agredir Daniel”, explicou o advogado. A testemunha não sabia quem eram os três suspeitos e também não soube confirmar se eles participavam da festa ou chegaram depois.

“Quando eles estão batendo, eles tiram a cueca do Daniel e deixam ele só de camiseta. Nesse momento, ele já não conseguia mais falar. Ele já estava só murmurando, praticamente desmaiado”. Jacob também contou que os agressores diziam frases como “Vai morrer, mexeu com a mulher dos outros, vai morrer”.

Na sequência, o jogador foi arrastado para a varanda – enquanto os convidados que não conseguiram fugir assistiam em choque – e colocado no porta-malas do carro de Brittes. Foi nesse momento que a testemunha teria sido ameaçada. Além do empresário que confessou o crime, os três suspeitos que ajudaram a surrar a vítima também embarcaram no veículo, segundo contou o advogado à polícia.

Allana Brittes postou fotos com o jogador Daniel depois do crime

Allana Brittes, de 18 anos, filha do empresário, postou em sua rede social uma foto com Daniel após o corpo do jogador ser encontrado na área rural de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.  

Na publicação – que foi compartilhada em um modo onde é possível visualizar por apenas 24h – a jovem publicou uma fotografia de seu aniversário de 17 anos. Nela, os dois aparecem como amigos. Na legenda, é possível ler: “A foto do meu aniversário do ano passado. A desse ano você não me mandou”. Ela finaliza a postagem com um emoji de lágrimas, provavelmente, fazendo relação com a morte do jogador.

Postagem de Allana após o assassinato do jogador Daniel. (Foto: Reprodução/Instagram)

 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.