Notícias

Temporal: Maringá faz força-tarefa e envia ajuda a Jandaia do Sul; ventos chegaram a 150 km/h

De acordo com o balanço da Defesa Civil, em Maringá caíram 35 árvores; foram atingidos 7 carros e uma casa, além de postes de energia elétrica

Renan
Renan Vallim / Repórter com informações da PMM

Equipes da Prefeitura de Maringá estão nas ruas desde a tarde desta quarta-feira (8) para atender situações de queda de árvore, galhos e consequente obstrução de vias em vários pontos da cidade, devido aos incidentes causados pelo vento forte e chuva. Por determinação do prefeito Ulisses Maia, o apoio e esforço da Defesa Civil foram estendidos à Jandaia do Sul, 41 km distante de Maringá, onde casas foram destelhadas.

De acordo com o balanço da Defesa Civil, em Maringá caíram 35 árvores. Foram atingidos 7 carros e uma casa, além de postes de energia elétrica. Houve distribuição de lonas também.

O esforço de minimizar os danos e devolver a normalidade à comunidade envolve as secretarias de Limpeza Urbana, Infraestrutura, Segurança e Mobilidade Urbana, Guarda Municipal, Corpo de Bombeiros e Copel. Foram entregues mais de 50 lonas para apoiar a população do município vizinho.

Equipes trabalham para minimizar efeitos do vendaval (Foto: PMM)

Em Maringá, um vídeo gravado no Aeroporto Regional mostra o momento em que um avião quase vira com a força do vento. Além disso, uma nuvem de poeira cobre todo o local. De acordo com a administração do aeroporto, ventos de até 150 km/h foram registrados no local.

Já na entrada do aeroporto, moradores testemunharam dois idosos se segurando em uma placa de trânsito para não caírem com a ventania, na sequência, uma placa de grande porte cai sobre a via de passagem para veículos.

Um posto de combustíveis da cidade teve parte da estrutura destruída e várias ruas da cidade estão bloqueadas devido a queda de árvores. No distrito de Floriano, foi registrada chuva de granizo.

Outras cidades

Em Lidianópolis, Lunardelli e Marialva os moradores registram chuva de granizo e queda de árvores em ruas da cidade e das rodovias da região.

Em Jandaia do Sul, distante 41 quilômetros de Maringá, o granizo perfurou diversos telhados e vidros de automóveis. A prefeitura cancelou as aulas nas escolas municipais por tempo indeterminado, pois várias escolas foram danificadas pelo granizo. O mesmo ocorreu com Unidades Básicas de Saúde (UBS) da cidade.

A orientação da prefeitura é que os moradores entrem em contato com a UBS perto de sua casa, antes de sair em busca de atendimento médico, para ver se a unidade está funcionando. Assim que a prefeitura conseguir mensurar todos os estragos, irá orientar os moradores como proceder.

A vacinação contra a Covid-19 via drive-thru na cidade também foi cancelada, porque a estrutura montada no ginásio de esportes municipal foi toda furada pelo granizo. 

UFPR

O prédio do campus de Jandaia do Sul da Universidade Federal do Paraná (UFPR) também sofreu com as pedras de gelo. Parte do teto da instituição, que funciona em um prédio da Fundação Educacional Jandaia do Sul (Fafijan), ficou todo perfurado. O granizo chegou até mesmo a invadir salas de aula.

(Foto: Fábio Guillen / RIC Record TV Maringá)

Energia elétrica

A Copel enviou uma nota oficial sobre os estragos causados pela chuva e pelo vendaval na rede elétrica do noroeste do Paraná. De acordo com a nota, “o trabalho de reconstrução e manutenção das redes elétricas danificadas pelo temporal desta quarta-feira conta com reforços de equipes de obras e de eletricistas de serviços e manutenção das cidades menos atingidas. As regiões Norte e Noroeste do Paraná foram as mais severamente afetadas pelo evento climático: até o momento, foram contabilizados 122 postes quebrados nas duas regiões. A partir do fim da manha, equipes das regiões Oeste e Centro-Sul chegam para dar apoio ao contingente mobilizado para as ações.”

Segundo a Copel, “em Lidianópolis, seis postes quebraram às margens da rodovia PR 466. Já no distrito de Tupinambá, em Astorga, foram nove estruturas quebradas. Na manhã desta quinta-feira, 9 mil domicílios estavam sem energia, em toda a região.”

“No entorno de Maringá, equipes de outras partes da regiões Noroeste auxiliam na substituição de 56 postes quebrados, sendo 24 deles em uma linha rural do município de Ourizona. Cerca de 8 mil domicílios estão sem energia na região, sendo 4 mil em Maringá e 1 mil em Paiçandu.”

Abastecimento de água

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) também divulgou nota oficial, já que houve comprometimento no abastecimento de água em alguns municípios, devido à interrupção no fornecimento de energia na captação e tratamento de água.

De acordo com a nota, as cidades de “Centenário do Sul e Guaraci tiveram problemas ontem [quarta-feira], voltaram a receber água na madrugada, mas estão com queda de energia novamente hoje [sexta] e pode haver falta de água”.

Ainda de acordo com a nota, “Grandes Rios, no Vale do Ivaí, e Paiçandu, na região de Maringá, tiveram parte dos sistemas de produção de água afetada. Os níveis dos reservatórios estão baixos e pode haver desabastecimento especialmente em bairros da região alta dessas cidades”.

Em alguns lugares a Copel já conseguiu restabelecer a energia e a Sanepar voltou a distribuir água, como Lunardelli e Jandaia do Sul. “Nesta última, o rodízio no abastecimento foi suspenso para que toda a cidade se recupere”, diz o texto.