Notícias

Suspeito de massacre do Colorado deve comparecer a tribunal para ouvir acusações

Reuters
Reuters
Suspeito de massacre do Colorado deve comparecer a tribunal para ouvir acusações
Pessoas fazem vigília em local de ataque a tiros em Boulder, no Estado norte-americano do Colorado

25 de março de 2021 - 10:45 - Atualizado em 25 de março de 2021 - 10:46

Por Dan Whitcomb

(Reuters) – Um homem de 21 anos acusado de abrir fogo em um supermercado do Estado norte-americano do Colorado e matar dez pessoas deve comparecer a um tribunal nesta quinta-feira para ser comunicado formalmente das acusações que enfrenta.

Ahmad Al Aliwi Alissa é alvo de dez acusações de homicídio e uma acusação de tentativa de homicídio, decorrentes do massacre de segunda-feira no mercado King Soopers de Boulder, cerca de 45 quilômetros ao noroeste de Denver.

O ataque foi o segundo episódio de assassinato em massa nos EUA em menos de uma semana – um homem armado matou oito pessoas a tiros em três spas da área de Atlanta no dia 16 de março.

Os dois ataques reacenderam um debate nacional sobre os direitos de posse de armas e levaram o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, a pedir uma nova legislação ao Congresso. Um projeto de lei que visa impor verificações de antecedentes mais rígidas e proibir certos rifles semiautomáticos travou devido à oposição republicana.

A polícia ainda não identificou publicamente um motivo para a matança em Boulder. O irmão de 34 anos de Alissa o descreveu como antissocial e paranoico em uma entrevista ao site Daily Beast.

Já a cunhada do suspeito disse à polícia na noite de segunda-feira que ele estava “brincando” com uma arma de fogo que ela disse lembrar uma “metralhadora” dois dias antes, o que aborreceu familiares, de acordo com um depoimento juramentado arquivado pela polícia no caso.

O atirador chegou ao mercado portando uma arma de mão e vestindo um colete tático, segundo o depoimento. Seis dias antes, Alissa adquiriu uma pistola Ruger AR-556, uma arma que se assemelha a um rifle semiautomático, sempre segundo o depoimento.

Sírio naturalizado norte-americano, ele se declarou culpado de uma agressão de terceiro grau por esmurrar um colega de classe no final de 2017.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH2O16L-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.