Notícias

Esquizofrênico em surto é morto pela Guarda Municipal de Londrina

Familiares declararam que a vítima não tomava corretamente a medicação para esquizofrenia, usava drogas e, nos últimos dias, estava muito agressivo

Caroline
Caroline Berticelli / Editora
Esquizofrênico em surto é morto pela Guarda Municipal de Londrina
O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal de Londrina. (Foto: Reprodução/RICTV)

11 de setembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 15:53

Um homem foi morto durante um surto de esquizofrenia pela Guarda Municipal de Londrina, no norte do Paraná, durante a noite desta terça-feira (10). A situação foi registrada na residência da vítima, localizada na Rua Luís Favoreto, no Jardim Planalto. 

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi chamado para conter Adriano Neres, de 33 anos, depois que ele atacou os pais com uma faca. No entanto, quando os agentes chegaram no local perceberam que para imobilizar o rapaz seria necessário a ajuda da Guarda Municipal, já que também foram ameaçados. 

Homem em surto é morto pela guarda municipal depois de ferir agente

Os guardas municipais tentaram conter o agressor com uma arma de choque, mas ele fugiu para dentro da casa e ameaçou a família com um material inflamável. Na sequência, após a permissão dos familiares, os guardas entraram na residência e usaram, sem sucesso, novamente a arma de eletrochoque.  

De acordo com o secretário de Defesa Social de Londrina, foram horas de conversa para tentar acalmá-lo e a ação extrema só foi usada porque ele feriu com golpes de faca a cabeça de um dos guarda municipais. “O problema é que ele investiu contra os guardas, chegou a ferir um guarda, e no momento em que ele partia com a faca pra cima de um outro guarda que estava caído, o colega, pra preservar a vida dele, fez o disparo de arma de fogo”, explica.

Quatro guardas participaram da ação e três disparos foram efetuados. O policial ferido foi encaminhado ao hospital com cortes na cabeça, sem correr risco de morte. 

Um inquérito policial foi aberto para investigar a ocorrência e um procedimento interno da Guarda Municipal também foi instaurado. 

O que dizem os familiares

Abalados, os familiares do homem em surto morto pela Guarda Municipal declararam que ele não tomava corretamente a medicação para esquizofrenia e usava drogas. Nos últimos dias, inclusive, ele estaria mais agressivo do que de costume.

Assista à reportagem completa:

O Balanço Geral Londrina conta todos os detalhes. 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.