Agronegócio

Superávit na balança do agronegócio de SP cai 15,7% no acumulado até agosto

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

24 de setembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 24 de setembro de 2019 - 00:00

São Paulo, 24 – A exportação do agronegócio paulista no acumulado de janeiro a agosto alcançou US$ 9,77 bilhões, o que corresponde a uma queda de 12,7% em relação ao mesmo período de 2018 (US$ 11,19 bilhões). Já as importações do setor no período ficaram em US$ 3,17 bilhões, baixa de 5,7% antes 2018 (US$ 3,36 bilhões). Com isso, o saldo comercial do agronegócio paulista nos primeiros oito meses do ano foi superavitário em US$ 6,60 bilhões, queda de 15,7% ante 2018 (US$ 7,83 bilhões). A análise é de pesquisadores do Instituto de Economia Agrícola (IEA/Apta), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

“Há que se destacar que as exportações paulistas nos demais setores da economia – exclusive o agronegócio – somaram US$ 22,17 bilhões de janeiro a agosto de 2019, e as importações US$ 36,76 bilhões, gerando um déficit externo desse agregado de US$ 14,59 bilhões. Desta forma, conclui-se que o déficit do comércio exterior paulista neste período só não foi maior por causa do desempenho do agronegócio estadual, cujo saldo manteve-se positivo (US$ 6,60 bilhões)”, ressaltam em comunicado os pesquisadores do IEA, Marli Dias Mascarenhas Oliveira, José Alberto Angelo e Carlos Nabil Ghobril.

Os cinco principais grupos nas exportações do agronegócio paulista, de janeiro a agosto de 2019, foram: complexo sucroalcooleiro (US$ 2,54 bilhões, sendo que, desse total o açúcar representou 77,5% e o álcool 22,5%), seguido do setor de carnes (US$ 1,29 bilhão, em que a carne bovina respondeu por 83,5%), do complexo soja (US$ 1,28 bilhão), dos produtos florestais (US$ 1,19 bilhão, com participações de 56,6% de papel e 34,2% de celulose), e de sucos (US$ 1,09 bilhão, dos quais 96,7% referentes a sucos de laranja). Esses cinco agregados representaram 75,7% das vendas externas setoriais paulistas, informam os pesquisadores.

Segundo o IEA, houve importantes variações no acumulado dos primeiros oito meses deste ano, todas negativas nos valores exportados dos principais grupos de produtos da pauta paulista, com destaque para o complexo sucroalcooleiro (-24,4%), complexo soja (-20,4%), carnes (-4,6%), produtos florestais (-2,1%) e dos sucos (-20,9%). Além desses produtos, o café, tradicional produto do agronegócio paulista, com exportações de US$ 399,88 milhões em 2019, apresentou alta de 19,3% em relação ao acumulado de 2018. “Essas variações nas receitas do comércio exterior são derivadas pela composição das oscilações tanto de preços quanto de volumes exportados”, comenta o instituto.

Em relação ao agronegócio brasileiro, as exportações setoriais de São Paulo de janeiro a agosto de 2019 representaram 15,1%, 1,3 ponto porcentual abaixo do mesmo período de 2018, enquanto as importações representaram 34,3%, 1,2 ponto porcentual inferior ao verificado no ano anterior.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.