Notícias

Sozinho em casa, menino de 12 anos é espancado pelo enteado do pai

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

28 de fevereiro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 28 de fevereiro de 2019 - 00:00

Menino diz que precisou se fingir de morto (Foto: reprodução RICTV | RECORD TV | Clemar Malmann)

Em entrevista, o adolescente de 12 anos conta que precisou se fingir de morto para conseguir sobreviver; veja o emocionante relato!

Pescoço roxo. Arranhões. Sinais de enforcamento. Muito inchaço. Momentos de terror vivenciados por um menino de apenas 12 anos. Sozinho em casa, o adolescente só escapou do espancamento após fingir a própria morte. 

Vítima estava sozinha em casa

Na noite desta quarta-feira (27), o menino foi surpreendido por um indivíduo que entrou na casa onde ele mora com o pai e a madrasta. Ao achar que era um ladrão, o adolescente é surpreendido: era o enteado do seu pai – filho da sua madrasta, um homem de aproximadamente 26 anos. 

Em entrevista, o adolescente conta que ouviu barulhos suspeitos no lado de fora da propriedade. “Ele pulou o portão. Eu achei que era um bandido e já fiquei um pouco esperto. Mas quando ele entrou dentro de casa eu vi que era o Murilo. Perguntei o que ele estava fazendo lá, e ele disse que tinha alguém tentando o matar”.

Em resposta, o garoto conta que o agressor disse: “é o teu pai. Ele é do Comando Vermelho e quer me matar”. Logo após o questionamento as agressões começaram. Segundo o menor, o enteado do seu pai pegou uma corda e tentou o enforcar. “Ele me levou para um lugar e começou a me bater”.

Rosto inchado e roxos espalhados

Os sinais de agressão pelo corpo do adolescente são fortes e evidentes. Segundo ele, o homem só parou quando achou que ele estava morto. “Eu acho que ele parou porque achou que eu tava morto. Depois eu acho que ele me levou para o fundo da casa e me deixou lá. Eu só me lembro mesmo de quando ele começou a me enforcar”, conta a vítima. 

Pai diz que enteado tem problemas com drogas

Durante entrevista exclusiva para a RIC TV | RECORD TV, o pai do menor conta que estava na igreja quando um vizinho o comunicou do que havia acontecido. Claramente emocionado, o homem conta que ao pegar o telefone já visualizou a terrível mensagem. “Haviam tentado matar o meu filho”.

Segundo ele, o enteado sem dúvidas estava alucinado, já que é um indivíduo envolvido com drogas. “Ele deve ter perdido os sentidos e veio tirar alguma satisfação com o meu filho”.

Suspeito fugiu 

 

Após espancar o menino, Murilo, como foi identificado, fugiu. O adolescente foi encontrado pelo vizinho, e foi encaminhado ao hospital coberto de sangue.

Nesta manhã de quinta-feira (28), a vítima deixou o hospital e foi direto a delegacia. Com a foto do agressor em mãos, as buscas pelo suspeito iniciaram de forma imediata pela polícia de Pinhais.

Depois de receberem a informação de uma possível localização do agressor, os policiais rodaram cerca de dez quilômetros até a região do Bairro Alto, em Curitiba, onde o homem finalmente foi encontrado. 

“Não fiz nada”

Murilo foi encontrado em uma casa. Na abordagem, o agressor aparece algemado, de calça moletom e sem camiseta. Aparentemente tranquilo, informa de prontidão que não havia feito nada. Em entrevista, o homem alega que o pai do menino espancava a sua mãe. “Eu não fiz nada. Nada. Nada”.  

Ainda na noite de quarta-feira, após o espancamento o pai do adolescente foi a procura do suspeito. Acompanhado da polícia e de guardas municipais, o possível agressor não foi encontrado. “Eu fugi por causa dele. Porque ele ia me matar”.

Veja reportagem completa abaixo

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.