Notícias

Solução para sabatina de Mendonça passa por diálogo, diz Pacheco

Reuters
Reuters
Solução para sabatina de Mendonça passa por diálogo, diz Pacheco
Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco

14 de outubro de 2021 - 19:47 - Atualizado em 14 de outubro de 2021 - 19:50

(Reuters) – O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse nesta quinta-feira confiar em uma solução para a sabatina de André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro ao Supremo Tribunal Federal (STF), que passe pelo diálogo.

O nome de Mendonça vem enfrentando resistência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), presidida pelo senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), e aguarda uma definição desde sua indicação, em julho.

Pacheco considerou legítima a movimentação do líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), que recolhe assinaturas para levar a indicação diretamente ao plenário, diante da dificuldade que Mendonça encontra na CCJ, e disse atuar para que a sabatina ocorra e para que a Casa possa ter “essa etapa vencida nas próximas semanas”.

“Eu estou trabalhando por isso, essa é minha intenção, que haja a sabatina. Eu acredito muito que ela será realizada.”

Na quarta-feira, Alcolumbre divulgou uma nota afirmando que não cederia a pressões, depois de ter sido criticado por Bolsonaro pela demora em marcar a sabatina.

Pacheco manifestou também a expectativa de que a CCJ avalie ainda neste ano a reforma tributária, com a ressalva de que respeita o encaminhamento e o ritmo dado por Alcolumbre.

A comissão avalia Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que reformula o sistema tributário, relatada pelo senador Roberto Rocha (PSDB-MA).

Pacheco disse ter conversado com Alcolumbre nesta semana, que, por sua vez, demonstrou “muito boa vontade na evolução” dessa pauta na CCJ.

“Portanto, eu tenho muita expectativa de que a CCJ pode evoluir bem na PEC 110”, disse o presidente do Senado.

“A nossa expectativa é que possa ser esse ano, mas obviamente que a CCJ tem as suas circunstâncias, tem o seu tempo, ela precisa ser respeitada como órgão autônomo, tem um presidente próprio”, destacou.

Pacheco aproveitou para afirmar que o parecer construído por Rocha é “digno de nota” por ter conseguido convergência entre secretários de Fazenda estaduais, setor produtivo, e Ministério da Economia.

O presidente do Senado comentou ainda o projeto que modifica regras do Imposto de Renda, parte das medidas infraconstitucionais que integram a reforma tributária. O relator, senador Angelo Coronel (PSD-BA), trabalha neste momento na construção do parecer, com previsão de reuniões e audiências públicas.

“Eu acredito na elaboração do parecer e que a CAE (Comissão de Assuntos Econômicos) possa apreciar o projeto do Imposto de Renda também o quanto antes”, disse Pacheco.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello, em Brasília)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH9D1H9-BASEIMAGE