Coronavírus

Shoppings de Curitiba reabrem com restrições nesta segunda-feira (25)

Caroline
Caroline Berticelli / Editora
Shoppings de Curitiba reabrem com restrições nesta segunda-feira (25)
Foto: Reprodução/RIC Record TV

25 de maio de 2020 - 00:00 - Atualizado em 25 de maio de 2020 - 00:00

Uma semana após o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior (PSD), declarar que não é possível reabrir os centros comerciais do Estado, em plena pandemia do novo coronavírus, “como se tudo estivesse normal”, inúmeros shoppings da capital reabriram as portas nesta segunda-feira (25). (Assista vídeo abaixo)

No entanto, para que pudessem voltar a funcionar, todos os shoppings se comprometeram a seguir uma série de medidas técnicas estabelecidas por uma nota orientativa do Governo Estadual. São elas:

  • funcionamento em horário reduzido, do meio-dia às 20h; 
  • limitação da entrada de clientes dentro dos shoppings e das lojas
  • medir a temperatura de todos que entram;
  • instalação de cabines de desinfecção, já disponíveis no mercado
  • garantir o distanciamento entre pessoas que entram e permanecem no local;
  • garantir que todos usem máscara de proteção;
  • proibir o acesso de pessoas que fazem parte do grupo de risco da Covid-19. Entre elas idosos, gestantes, portadores de doenças crônicas e crianças menores de 12 anos;
  • disponibilização de equipamentos de proteção individual a todos os funcionários
  • ampliação do espaçamento entre mesas nas praças de alimentação
  • distribuição de pontos de higienização das mãos em vários pontos
  • retiradas de bancos e sofás dos corredores
  • orientação visual vertical e orientação sobre distanciamento entre as pessoas
  • proibir que pessoas provem roupas dentro das lojas
  • protocolos rigorosos de higienização de máquinas e equipamentos

Por outro lado, os cinemas não foram autorizados a retomarem o funcionamento e, além disso, promoções ou liquidações também estão proibidas para evitar que muitas pessoas se dirijam aos shoppings. 

Daniel Bueno, superintendente do Jockey Plaza Shopping, explica que estabelecimento tomou todas as medidas solicitadas pelo governo e que funcionários posicionados nas entradas e no interior do shopping irão garantir o cumprimentos das normas. Mesmo assim, ele também conta com o bom senso da população

“Todas as pessoas são abordadas para que se faça a aferição da temperatura, dessa forma, a criança, o idoso, tem uma abordagem prévia. Então, nós vamos informar que, infelizmente, por um período, eles não podem entrar no shopping. […] A gente também conta com a proatividade do curitibano que até agora tem se demonstrado muito tranquilo em relação às medidas adotadas, então, eu não acredito que isso vai ser um problema”, diz. 

Estado acompanha situação da Covid-19

O secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto, ressaltou em entrevista, na última sexta-feira (22), que a abertura dos shoppings foi regularizada com a nota técnica, porém, caso o surto do novo coronavírus venha a se agravar no Paraná, poderá ser necessária uma tomada de medidas mais drásticas. 

De acordo com a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde do estado, Maria Goretti David Lopes, até o momento, a reabertura dos comércios em outros locais resultou em um maior número de infectados. Para que isso não aconteça no Paraná, ela ressalta que é necessário seguir as orientações à risca. 

“A gente vê nos outros países e estados, todas vez que reabre depois de 14, 20 dias, nós temos um aumento de casos. A gente espera que isso não aconteça no Paraná. A gente espera que as lideranças que pleitearam a reabertura, e a gente entende a situação econômica e também estamos preocupados, cumpram as medidas que nós estamos orientando para proteger as pessoas”, explica Lopes.

Ainda conforme a diretora, é preciso que tanto os responsáveis pelos shoppings como a população façam a sua parte

“O que nós esperamos é consciência em relação ao risco que ainda estamos passando. Os shoppings, as galerias, os centros comerciais reabrem, mas esperamos que com todas as medidas que já foram apresentadas. […] Nós tivemos em 60 dias, 153 óbitos, nós ainda estamos com um número crescente de casos, um número crescente de mortes. Ninguém pode ficar desapercebido, é uma consciência coletiva para que se precisar sair – porque a nossa orientação é de isolamento domiciliar e distanciamento – sair com todas as medidas de proteção”, disse.

Assista à entrevista:

A diretora de Atenção e Vigilância em Saúde do Paraná participou do programa Balanço Geral Curitiba: 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.