Notícias

Serial killer é caçado há sete dias em Goiás, ele já baleou dois PMs e fez vários reféns

Lázaro Barbosa matou quatro pessoas da mesma família, nestes sete dias de fuga. Ele carrega um livro de magia negra, que seus avós dizem que, enquanto estiver com ele, evitará que seja preso.

Giselle
Giselle Ulbrich
Serial killer é caçado há sete dias em Goiás, ele já baleou dois PMs e fez vários reféns
Foto: Divulgação Polícia Civil / Goiás

15 de junho de 2021 - 22:30 - Atualizado em 15 de junho de 2021 - 22:30

Já são mais de 200 policiais civis e militares atrás de Lázaro Barbosa, 33 anos, conhecido por ser o “serial killer do Distrito Federal”. Nos últimos sete dias, o foragido do sistema penitenciário matou quatro pessoas da mesma família em Ceilândia, região de em Brasília, baleou outras três (incluindo dois policiais) e fez diversos reféns em chácaras por onde se escondeu por Goiás. A Polícia Militar usa helicópteros, cães farejadores e conta com auxílio da Polícia Federal e Civil, sem sucesso até o momento.

Conforme informações do portal R7, a última troca de tiros que Lázaro teve com a polícia foi na tarde desta terça-feira (15), na zona rural de Edilândia, povoado do município de Cocalzinho de Goiás, no estado de Goiás. Um policial foi atingido por um tiro de raspão, ferimento sem gravidade. Ainda não se sabe se o bandido foi baleado.

Magia negra

Às 6h desta terça-feira (15), câmeras de segurança da fazenda mostraram Lázaro saindo do local onde é feita a ordenha das vacas, onde ele provavelmente passou a noite. As imagens mostram ele carregando uma mochila. Conforme a polícia, na mala ele transporta armas e um livro de magia negra. Ele teria teria herdado esse livro do avós, que teriam lhe dito que, enquanto o carregasse, estaria sempre protegido e não seria capturado.

Mateiro

A polícia diz que Lázaro conhece bem a região e é habilidoso em se embrenhar no mato e se manter escondido. Assim, ele age sempre da mesma maneira. Armado, invade fazendas, faz as pessoas reféns e as obriga a cozinhar para ele. Ainda as ameaça de morte caso não cumpram as ordens.

Foi o que aconteceu com Cleonice Marques Vidal, de 43 anos, no último dia 10. Por causa de possível desobediência ao marginal, Lázaro matou Cláudio, marido de Cleonice, e os dois filhos dela, Gustavo e Carlos Eduardo. Depois, Lázaro a levou para o meio da mata, agrediu e matou. O corpo foi encontrado dias depois, sem roupa, a oito quilômetros da residência. Nestes seis dias, além das quatro mortes, o bandido já baleou outras três pessoas e fez vários reféns.

Ficha corrida

O serial killer já tem longa ficha criminal. Conforme levantamentos do portal R7, Lázaro tem três mandados de prisão em aberto por roubos e estupro em Goiás e outro por homicídio na Bahia. Além disto, ele é investigado por homicídio e por roubo seguido de estupro no Distrito Federal. Também é foragido da penitenciária de Águas Lindas de Goiás, há mais de três anos. Sem contar os quatro assassinatos que cometeu em Goiás, durante esta fuga que já dura sete dias.

Boa pinta nas redes

Para manter-se como foragido, sem ser percebido, diz a polícia, Lázaro criava perfis nas redes sociais, que serviam como facilitador para se aproximar de vítimas como um bom rapaz. Ele postava fotos sem camisa, exibindo o corpo, para principalmente atrair mulheres. Uma delas foi vítima de Lázaro e do irmão dele há 12 anos.

Em 2013, quando ele tinha 26 anos, ele passou por uma avaliação médica, que traçou a personalidade dele: agressividade, ausência de mecanismos de controle, dependência emocional, impulsividade, instabilidade emocional, possibilidade de ruptura do equilíbrio, preocupações  sexuais e sentimentos de angústia.

Em entrevista, o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Marques, classificou o foragido como “psicopata“. “Ele deve ter outra motivação psicótica. Está muito focado em seguir na trajetória criminosa. Mas vamos chegar até ele”, afirmou.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.