Notícias

Hospital do Trabalhador esclarece tentativa de sequestro de recém-nascido

Complexo hospitalar destacou os 27 anos de funcionamento sem nenhuma ocorrência desta natureza “demonstrando a qualidade dos protocolos de segurança”

Guilherme
Guilherme Becker / Editor
Hospital do Trabalhador esclarece tentativa de sequestro de recém-nascido
(Foto: Paulo Fischer/ RIC Record TV)

13 de julho de 2021 - 09:48 - Atualizado em 13 de julho de 2021 - 09:48

O Complexo Hospitalar do Trabalhador emitiu uma nota nesta terça-feira (3) sobre a tentativa de sequestro de um recém-nascido, registrado na noite desta segunda-feira (12). De acordo com a instituição, em 27 anos de existência esta foi a primeira ocorrência desta natureza e o crime foi identificado graças ao protocolo de segurança da unidade.

Segundo a instituição, a mulher, suspeita de tentar sequestrar o recém-nascido, foi abordada por um funcionário da segurança do local, que percebeu uma desconformidade. O vigilante notou que a jovem não utilizava uma pulseira de identificação que as mães devem manter.

“Imediatamente a mulher foi indagada sobre a falta da pulseira e solicitado seus documentos, os quais não foram apresentados. Na sequência esta mulher passou a fornecer várias versões sobre o motivo de sua presença no Hospital, sendo que nenhuma se mostrou verdadeira. Neste momento, o serviço de segurança do Hospital, comunicou a autoridade policial para conduzir a mulher à delegacia e prontamente devolvida a criança a sua verdadeira mãe”,

explicou o hospital.

A diretoria da instituição ainda reforçou a eficiência e a capacitação dos profissionais que trabalham no local. 

Nota Hospital do Trabalhador

Confira a nota completa:

Em 12/07/2021 perto das 18h00min, foi identificado pela segurança do Hospital, no controle do acesso da maternidade, uma mulher com um bebê de colo tentando sair da edificação sem autorização. Conforme protocolo de conferência de documentos e pulseiras de identificação da mãe e do bebê, neste caso não havia a pulseira na suposta mãe e sim apenas na criança. Imediatamente a mulher foi indagada sobre a falta da pulseira e solicitado seus documentos, os quais não foram apresentados. Na sequência esta mulher passou a fornecer várias versões sobre o motivo de sua presença no Hospital, sendo que nenhuma se mostrou verdadeira. Neste momento, o serviço de segurança do Hospital, comunicou a autoridade policial para conduzir a mulher à delegacia e prontamente devolvida a criança a sua verdadeira mãe. Reiteramos que os procedimentos de segurança adotados no Hospital foram efetivos, bloqueando a tentativa deste crime. Importante registrar que a Maternidade do Hospital do Trabalhador possui 27 anos de funcionamento sem nenhuma ocorrência desta natureza, demonstrando a qualidade dos seus protocolos de segurança.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.