Notícias

Semelhanças em mortes de idosas intrigam familiares em Curitiba

Caroline
Caroline Berticelli / Editora com reportagem de Tiago Silva da RIC Record TV, Curitiba
Semelhanças em mortes de idosas intrigam familiares em Curitiba
Foto: Montagem/RIC Mais

4 de maio de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:42

Dois assassinatos ocorridos em menos de um mês em bairros próximos de Curitiba apontam semelhanças e intrigam familiares. Maria das Graças Pereira, de 67 anos, e Terezinha Castro de Lima, de 62 anos, foram encontradas mortas dentro de casa vestindo apenas roupas íntimas.

O delegado Vitor Menezes responsável pela investigação dos crimes, explica que a Polícia Civil aguarda os laudos do Instituto Médico-Legal (IML) sobre a morte de Maria das Graças para ter certeza de que se trata de um homicídio. Para ele é possível sim, ver similaridade nos dois casos, mas existem diferenças e elas são ainda mais importantes, como, por exemplo, não estar comprovado que Maria foi agredida, enquanto Terezinha foi vítima de vários golpes durante uma agressão

“Nos dois casos trata-se de duas senhoras de idade avançada, as duas são evangélicas, e moram relativamente perto, a cerca de três quilômetros, a dona Terezinha no bairro Tatuquara e a dona Maria das Graças no bairro Campo do Santana. Mas existem algumas diferenças, e eu acho que as diferenças são mais importantes”, declara Menezes.

Ainda conforme o policial, não existem sinais de arrombamento na casa de Maria e caso ela tenha sido mesmo assassinada, o criminoso teve sua entrada permitida. Já a residência de Terezinha, estava trancada e as chaves haviam sumido

“É claro que são fatos que chamam a atenção e que a polícia não fecha os olhos para isso, mas a ligação vai ser demonstrada com o andar das investigações. Uma vez demonstrada, logicamente, vemos expor ao final da investigação, o trabalho e de repente a ligação ou não dos dois casos”, pontua o delegado.

Maria das Graças Pereira

Maria foi encontrada morta, na última sexta-feira (1), por um dos filhos, dentro da residência onde vivia sozinha. Segundo o tenente Borne, da Polícia Militar, que atendeu a ocorrência, não havia sinais de arrombamento no local. 

“Estava alinhada, sem sinais de que alguém tivesse revirado [a casa]. Já o corpo estava no chão, sem as partes íntimas das roupas, só com as partes de cima, e um ferimento no pescoço”, contou na ocasião. 

Uma testemunha afirmou que pouco tempo antes de ser localizada sem vida, a idosa negou dinheiro para pedintes na rua e teria sido perseguida por eles.

Terezinha Castro de Lima

Terezinha foi encontrada também por um filho dentro da casa em que morava sozinha no dia 7 de abril. Ela estava caída dentro de um quarto e vestia apenas roupas íntimas. Além dos sinais de violência no corpo da vítima, inúmeras manchas de sangue também estavam espalhadas pelo imóvel. 

Denuncie

Qualquer informação que possa ajudar a polícia na investigação dos casos pode ser repassada, de forma anônima, pelo telefone 0800- 643 1121.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.