Caroline
Caroline Berticelli / Editora

2 de dezembro de 2019 - 00:00

Atualizado em 2 de dezembro de 2019 - 00:00

Notícias

Trigêmeos morrem afogados no Rio Paraná, no Mato Grosso do Sul

Um homem de 47 anos também morreu; as vítimas de afogamento viviam no oeste e noroeste do Paraná

Trigêmeos de 13 anos e um homem morreram afogados no Rio Paraná, em Mundo Novo, no Mato Grosso do Sul, neste sábado (30). A tragédia aconteceu quando todos tomavam banho em um local conhecido como Praia do Sol

Nesta segunda-feira (2), dois dos irmãos foram sepultados em Alto Piquiri, no noroeste do Paraná, onde viviam com a família, enquanto o corpo da terceira vítima permanece desaparecido

Marcos Roberto de Campos, de 47 anos, foi sepultado em Guaíra, no oeste do estado, também nesta segunda.

Trigêmeos e homem morrem afogados durante passeio

A família dos trigêmeos havia viajado até Guaíra, que faz dívida com o Mato Grosso do Sul, para visitar o amigo, quando o homem decidiu levar os adolescentes para fazer um passeio de barco.

LEIA TAMBÉM:

Trigêmeos que morreram afogados no rio Paraná realizavam sonho de andar de barco

“Os pirulitos, eu já falei pra Jesus te dar”, disse professora de trigêmeo morto afogado

Segundo o Corpo de Bombeiros, os trigêmeos, Marcos Roberto e seu filho, de 14 anos, tomavam banho na Praia do Sol – uma espécie de banco de areia que fica no meio do Rio Paraná – quando uma das jovens se afastou e afundou em um trecho do rio. Na tentativa de salvá-la, seus dois irmãos foram puxados pelo rio e também morreram afogados

O pai e o filho que também estavam no passeio tentaram salvar as vítimas, mas acabaram levados pela correnteza. O adolescente foi salvo por pessoas que passavam de barco pelo local enquanto seu pai morreu

Praia do Sol onde os paranaenses morreram afogados. (Foto: Colaboração)

Os corpos das três vítimas já sepultadas foram localizados neste domingo (1º), enquanto as buscas pela jovem que ainda não foi encontrada continuam

A Polícia Civil do Mato Grosso do Sul instaurou um inquérito para apurar o caso, mas até o momento a situação é tratada como uma tragédia.  

Conforme a polícia, o local onde ocorreram os afogamentos não era um balneário e não havia salva-vidas

As buscas por uma das irmãs continuam. (Foto: Colaboração)