Caroline
Caroline Berticelli / Editora

13 de junho de 2019 - 00:00

Atualizado em 13 de junho de 2019 - 00:00

Notícias

Homem confessa ter assassinado terapeuta encontrada morta em Piraquara

Homem confessa ter assassinado terapeuta encontrada morta em Piraquara
Terapeuta morta em Piraquara foi assassinada por conhecido. (Foto: Reprodução/RICTV)

O caso da terapeuta morta em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, foi resolvido pela polícia. O suspeito de ter assassinado Aline Miotto Nadolny, de 27 anos, foi levado à delegacia na manhã desta quinta-feira (13) e, em depoimento, confessou o crime. As primeiras informações são de que se trata de um  familiar e que a motivação teria sido financeira. A polícia só ira divulgar a identidade do homem após a Justiça decretar a prisão preventiva. (Veja vídeo do suspeito abaixo)

Câmeras de segurança ajudaram

A Polícia Civil chegou até o suspeito depois que uma testemunha afirmou ter visto um Renault Sandero vermelho na região onde a terapeuta foi encontrada morta em Piraquara. Após a denúncia, os investigadores procuraram pelo mesmo veículo em câmeras de segurança do bairro Alto da XV, na capital, de onde Aline desapareceu. Logo, o carro foi localizado e o proprietário identificado através da placa.

O homem que confessou ser assassinado a terapeuta seguiu para o exame de corpo delito.

O homem que confessou ser assassinado a terapeuta seguiu para o exame de corpo delito sem mostrar o rosto. (Foto: Luciano Chinasso/RICTV)

O homem foi surpreendido pelos policiais quando saiu de casa para trabalhar na manhã desta quinta no bairro Fazendinha, em Curitiba. Conforme a polícia, o carro estava escondido na garagem e ele usava aplicativo de transporte. Na sequência, tanto o veículo como o suspeito foram levados à delegacia. 

Terapeuta morta em Piraquara

O corpo de Aline foi descoberto no dia 6 de junho, por um grupo de crianças, em um terreno baldio ao lado da Colônia Penal Agrícola do Paraná (CPA). Conforme a polícia, ela foi morta por esganadura. 

A terapeuta morta em Piraquara, na verdade, foi assassinada em Curitiba.

A terapeuta morta em Piraquara, na verdade, foi assassinada em Curitiba. (Foto: Reprodução/RICTV)

Na ocasião, antes da morte da terapeuta ser confirmada, seu marido já havia postado que ela desapareceu após sair para o trabalho, por volta das 6h da manhã. Ele teria descoberto que algo de errado ocorreu com a esposa porque rastreou seu celular e viu que o sinal de GPS foi perdido cerca de 17 minutos depois de ela deixar a residência.

Confissão de assassinato

Segundo a polícia, o suspeito confessou que esganou e matou a jovem enquanto ela estava sentada no banco de carona do veículo. Como ele é natural de Santa Catarina e não conhece bem Curitiba, após cometer o crime, ficou rodando com a terapeuta já morta dentro do carro até encontrar um lugar que pudesse abandonar a vítima.

Vídeo do assassino confesso de terapeuta:

O homem foi flagrado pelas câmeras da RICTV Curitiba | Record PR.