Caroline
Caroline Berticelli / Editora

29 de junho de 2020 - 12:27

Atualizado em 29 de junho de 2020 - 13:11

Segurança

Suspeito de matar criança de 12 anos em Almirante Tamandaré é preso em SP

Matheus Knaipe foi atingido por  três disparos de arma de fogo na cabeça, no dia 21 de junho

Suspeito de matar criança de 12 anos em Almirante Tamandaré é preso em SP
Foto: Reprodução/RIC Record TV

Um homem de 29 anos foi preso na cidade de Monte Mor, em São Paulo, por suspeita se ser o autor dos disparos de arma de fogo que mataram uma criança de 12 anos em Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba. 

De acordo com a Polícia Civil, ele nega o crime e alega estar vivendo em São Paulo há oito meses. 

“Nós ouvimos ele na parte da manhã. Ele nega a autoria, disse que não seria ele o executor, mas o tio da criança, que presenciou o crime, foi enfático ao dizer que se trata efetivamente dessa pessoa”, explicou do delegado Tiago Dantas. 

As investigações continuam para identificar outro possível suspeito de envolvimento no crime.

“Ao que tudo indica, a um outro co-autor, não sabemos ainda qual a participação. Mas as investigações vão continuar no decorrer desta semana, temos muita coisa ainda para investigar”, pontuou Dantas. 

Criança é morta em Almirante Tamandaré

O homicídio ocorreu no dia 20 de junho deste ano, em uma rua do bairro São Jorge. Na ocasião, Matheus Knaipe estava com um tio paterno, de 31 anos, sentado em uma esquina, quando os dois foram surpreendidos pelo criminoso. Ao perceber a aproximação da motocicleta usado pelo suspeito, o adulto conseguiu fugir, mas a criança ficou paralisada e acabou morta

Conforme o delegado, apesar do tio ser o alvo principal, o atirador não poupou a vida do menino e executou Matheus propositalmente.

“No momento em que o Maurício viu a situação, que era o alvo, ele correu, no extinto e, aí, o executor optou por desferir tiros na criança e efetuou três tiros na região da cabeça. Se ele estivesse efetivamente com o intento de acertar o Maurício que empreendeu fuga, a criança teria ficado parada, então provavelmente, a arma teria deslocado em direção a quem estava fugindo, mas ele optou por atingir a criança que estava sentada”, declarou o delegado, no dia 22 de junho. 

Nesta segunda, Dantas informou ainda que, até o momento, não foram contabilizados o número de disparos que atingiram a vítima.

“É importante ressaltar que a gente precisa aguardar o laudo pericial, o laudo necroscópico, para efetivamente apontar o número de perfurações no cadáver da criança”, disse o delegado.