Segurança

Suspeito de matar homossexuais mudou foto do perfil em rede social no dia do crime

Suspeito alterou uma foto de rosto com óculos, para uma ilustração de uma praia

Guilherme
Guilherme Becker / Editor
Suspeito de matar homossexuais mudou foto do perfil em rede social no dia do crime
(FOTO: ARTE RICMAIS)

16 de maio de 2021 - 18:09 - Atualizado em 16 de maio de 2021 - 18:09

O suspeito de matar três homossexuais, em Curitiba e Abelardo da Luz (SC), retirou sua foto de uma rede social no dia que cometeu o primeiro dos três crimes. Na manhã do dia 16 de abril, um dia antes do professor Robson Paim ser encontrado morto, José Tiago Correia Soroka atualizou a foto para a imagem de um pôr do sol.

Às 11h44 do dia 16 de abril, José Tiago atualizou a rede social. Neste mesmo dia, o suspeito teria marcado um encontro com o professor universitário de Abelardo da Luz. A família da vítima sentiu ausência de Robson Paim já na noite da sexta-feira (16), porém, o corpo só foi encontrado na manhã de sábado (17).

Neste domingo (16), a equipe de investigação da Polícia Civil do Paraná (PCPR) divulgou a identidade, fotos e vídeos do indivíduo procurado. De acordo com a polícia, José Tiago já possui mandados de prisão temporária em aberto pelos crimes. Além dos três latrocínios, no dia 11 de maio, José Tiago Correia Soroka teria tentado fazer outra vítima no bairro Bigorrilho, em Curitiba, mas o rapaz conseguiu escapar do suspeito.

Leia também: Veja imagens do suspeito no condomínio das vítimas

O suspeito

José Tiago Correia Soroka está sendo procurado pela PCPR após ser flagrado por câmeras de segurança nos condomínios de duas vítimas, que moravam em Curitiba. Nas imagens é possível ver o homem deixando o local com mochilas. A princípio os crimes foram apontados como homicídios, entretanto, depois a investigação descobriu que objetos das vítimas foram levados, o que caracteriza latrocínio.

suspeito crime homossexuais
Jose Tiago é considerado foragido (FOTO: DIVULGAÇÃO/ PCPR)

O foragido, que possui 33 anos, já teve passagem pela polícia. Em 2015, ele e mais dois companheiros foram presos após capotarem um veículo roubado no bairro Santa Felicidade, em Curitiba. Após cometerem o crime, o trio tentou fugir sentido litoral, porém, acabou se envolvendo em um acidente na PR-508.

Os três rapazes, incluindo José Tiago Correia Soroka, foram encontrados por agentes da Polícia Rodoviária Estadual e detidos. Na época, o suspeito de matar os homossexuais morava em Campo Magro, na Região Metropolitana de Curitiba.

A família do suspeito mora em Abelardo da Luz, município onde aconteceu o primeiro crime, no dia 16 de abril.

Movimento LGBTI+ emite nota

Logo após a revelação da identidade do suspeito pelos crimes, a Aliança Nacional LGBTI+ emitiu uma nota sobre o caso. Confira na íntegra:

A Aliança Nacional LGBTI+ comunica à imprensa brasileira que agora há pouco foi divulgado pela Polícia Civil do Paraná o nome suspeito JOSÉ TIAGO CORREIA SOROKA, pelo assassinato de jovens em Curitiba e possivelmente um outro caso recente em Abelardo Luz – SC.

O Coordenador da Área Jurídica da Aliança Nacional LGBTI+, Marcel Jeronymo, acompanha o caso desde a última quarta-feira, dia 5 de maio de 2021, quando foi encontrado o corpo do jovem Marcos Vinicius, 25 anos, natural do Mato Grosso do Sul, e que era estudante de medicina da PUCPR.

Com essa morte, a polícia passou a investigar ao que parece se tratar de um assassino em série, que tirou a vida de três gays, que vieram de outras cidades, e moravam sozinhos.

Estão sendo relacionados ainda a morte do David Levisio, 30 anos, que era enfermeiro em Curitiba, e o Robson Paim, 36 anos, professor em Abelardo Luz – SC.

O modus operandi do criminoso demonstra as características de crime por homofobia. Aproveitava-se a vulnerabilidade de aplicativos de relacionamento, para através de um anonimato, se aproximar das vítimas e ser convidado para o apartamento de cada um.

Nutrindo um misto de desejo e rejeição a sua orientação sexual, dopava as vítimas quando bebiam algo, amarrava os braços nas costas, e quando desfalecia, o assassino colocava o corpo de bruços, e asfixiava com o travesseiro da própria vítima.

As investigações estão sendo conduzidas pelo Dr. Thiago da Nóbrega, chefe da 3° Delegacia de Homicídios de Curitiba, contando com o apoio do Dr. Cláudio Marques Rolim e Silva, Delegado do Setor de Vulneráveis da DHPP. A Aliança Nacional LGBTI+, através de sua presidência e coordenação da área jurídica, colaboraram diretamente com as investigações policiais.

A Aliança Nacional LGBTI+ agradece o apoio da mídia e de todas as pessoas que forneceram pistas e provas para encontrar o suspeito, informar nos telefones 197 ou 0800-6431-121.

Informações adicionais:

Toni Reis, diretor presidente da Aliança Nacional LGBTI+ 41 99602 8906 Marcel Jeronymo, coordenador da Área Jurídica da Aliança – 41 99740 1560

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.