Segurança

PF faz buscas na região noroeste do Paraná contra grupo suspeito de fraudar licitação do INSS

Após vencer pregões eletrônicos, grupo entregava produtos que não correspondiam ao produto original da marca, ou seja, eram fornecidos cartuchos de tinta da Samsung e/ou HP falsificados

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações da Polícia Federal
PF faz buscas na região noroeste do Paraná contra grupo suspeito de fraudar licitação do INSS
(Foto: Divulgação/ PF)

1 de julho de 2021 - 07:55 - Atualizado em 1 de julho de 2021 - 07:55

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (1), a Operação FAKE INK, com o objetivo de desarticular um grupo criminoso suspeito de fraudar licitação do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), para aquisição de suprimentos de informática (cartuchos de tinta), no estado do Mato Grosso. Agentes também realizam buscas nas cidades de Sarandi e Maringá, no noroeste do Paraná.

Operação Fake Ink

As investigações, iniciadas em 2020, constataram que os envolvidos criavam empresas de fachada que concorriam em pregões eletrônicos com preços abaixo do mercado, para que pudessem se sagrar vencedoras. Porém, após vencerem os certames, o produto entregue pelas empresas não correspondia ao produto original da marca, ou seja, eram fornecidos cartuchos da Samsung e/ou HP falsificados. 

No curso da investigação verificou-se que as empresas de fachada possivelmente tenham atuado de forma criminosa em todo o país.

(Foto: Divulgação/ PF)

Foram expedidos pela 5ª Vara Federal da Seção Judiciária do Mato Grosso sete mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão temporária, com os objetivos de prender as lideranças criminosas, colher provas e encontrar os locais de fabricação dos produtos falsificados.

O nome da Operação Fake Ink – tinta falsa no idioma inglês – remete ao fato de a organização criminosa fornecer aos órgãos públicos em que venciam as licitações cartuchos falsificados.

A ação deflagrada na data de hoje contou com o importante apoio da Receita Federal em Maringá. Além disso, a mesma irá apurar possível sonegação fiscal cometida pelo grupo criminoso.

As investigações terão continuidade para identificar outros suspeitos que também praticam essas condutas, bem como para apontar outras licitações que possivelmente foram fraudadas.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.