Segurança

Servidor que teria plantado maconha em viveiro público pode ser condenado por improbidade administrativa

Os fatos ocorreram em 2016, quando o chefe da Divisão de Meio Ambiente da Administração notou “plantas estranhas no meio das mudas de canelinha (árvore)”

Daniela
Daniela Borsuk com Ministério Público do Paraná
Servidor que teria plantado maconha em viveiro público pode ser condenado por improbidade administrativa
(Foto: Ilustração/ Pixabay)

19 de fevereiro de 2021 - 10:35 - Atualizado em 19 de fevereiro de 2021 - 10:35

Um servidor da cidade de Janiópolis que teria plantado maconha em um viveiro público pode ser condenado por Improbidade Administrativa. O Ministério Público do Paraná, por meio da 3ª Promotoria de Justiça de Campo Mourão, no Centro Ocidental do estado, ajuizou ação civil pública pelo ato.

De acordo com o MPPR, os fatos ocorreram em 2016, quando o chefe da Divisão de Meio Ambiente da Administração notou “plantas estranhas no meio das mudas de canelinha (árvore)”, tendo sido identificados 17 pés de cannabis sativa plantados. O servidor ocupa cargo efetivo de viveirista em Janiópolis e é filho de um vereador do município.

Com o ajuizamento da ação, o MPPR busca a condenação do agente público às penas previstas na Lei de Improbidade Administrativa, entre elas o ressarcimento integral do dano causado, a perda da função pública, a suspensão dos direitos políticos por período de três a cinco anos e o pagamento de multa civil.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.