Segurança

Sede de grupo de escoteiros é invadida pela 3º em um mês na CIC

A sede fica dentro de um parque em Curitiba; em nota, a Polícia Militar do Paraná (PM) informou que a responsabilidade pela segurança do local é de Guarda Municipal 

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Sede de grupo de escoteiros é invadida pela 3º em um mês na CIC
Foto: Reprodução/Grupo RIC

28 de junho de 2021 - 15:54 - Atualizado em 28 de junho de 2021 - 16:21

A sede do Grupo de Escoteiros Milton Horibe, localizada dentro do Bosque Túlio Vargas, no bairro Cidade Industrial de Curitiba, na capital, foi arrombada na madrugada desta segunda-feira (28), apenas dois dias depois de ter sido invadida, furtada e vandalizada no sábado (26). É a terceira vez em um mês que esse tipo de situação é registrada  no local. 

No sábado, data em que o grupo completou 17 anos de existência, um dos organizadores usou o Facebook para fazer um desabafo sobre a situação. Conforme o relato, os criminosos entraram no local pelo teto, furtaram equipamentos, destruíram parte das estruturas, tentaram atear fogo, arrancaram o alarme, destruíram as portas e levaram toda a fiação elétrica e mantimentos doados por voluntários.

 “Hoje faz 17 anos de existência de uma contribuição gigantesca na formação, no caráter de todas as pessoas que por aqui passaram. E hoje, no dia do aniversário, o presente foi arrombamento pelo teto, furto de toda a fiação elétrica, destruição das caixinhas de disjuntor, de tomada, destruíram a cozinha, tentaram tacar fogo duas vezes dentro”,

disse na rede social. 

Em conversa com a RIC Record TV, Luciane Souza, diretora do grupo de escoteiros, ressaltou que a falta de segurança e as invasões recorrentes acabam muitas vezes deixando os pequenos escoteiros sem atividades.

“Somente esse mês, é a terceira vez, então, são recorrentes as invasões e depredações aqui. Com isso, muitas crianças ficam desamparadas e sem as atividades para aprender trabalhar com o meio ambiente, com convívio social, intelectual, espiritual, o aprender fazer que é o método do escoteiro”,

disse Luciane.

Veja os estragos deixados na sede do grupo de escoteiros:

O que diz a polícia 

Em nota, o 23º Batalhão da Polícia Militar, informou que a segurança dos parques municipais é uma responsabilidade da Guarda Municipal, mas que trabalha auxiliando nas prisões e evitando ações criminosas quando são flagradas em momentos de patrulha. A corporação ainda ressaltou que tem deflagrado ações na região com o objetivo de inibir a criminalidade. 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.