Notícias

Após noite na esbórnia, homem é feito refém em boate e pede socorro para esposa

Guilherme
Guilherme Becker / Editor
Após noite na esbórnia, homem é feito refém em boate e pede socorro para esposa
Homem é mantido refém por quatro dias em boate (FOTO: DIVULGAÇÃO/ PCPR)

21 de maio de 2019 - 00:00 - Atualizado em 21 de maio de 2019 - 00:00

Um homem, de 37 anos, protagonizou uma situação um tanto inusitada depois de passar a noite na farra em um cabaré no bairro Sítio Cercado, em Curitiba. Ele acabou feito refém na boate e precisou pedir socorro para a própria esposa. Seis pessoas foram presas.

A vítima chegou a boate para se divertir na tarde da última quinta-feira (16). Entretanto foi impedido de deixar o local e pediu socorro para a esposa “só espero que um dia você me perdoe”, escreve o homem para a esposa.

Homem declara que espera o perdão (FOTO: DIVULGAÇÃO/ PCPR)

Homem declara que espera o perdão (FOTO: DIVULGAÇÃO/ PCPR)

LEIA TAMBÉM: Ônibus atola a caminho da escola e crianças descem para empurrar veículo, em Doutor Ulysses

Refém estava com primo na boate

O caso teve início na quinta-feira (16). O homem e um primo foram até a boate, ainda na parte da tarde. Já na madrugada de sexta-feira (17), a vítima foi impedida de deixar o local, somente o primo foi liberado com a intenção de conseguir R$ 20 mil para libertação do parceiro.

Como o primo não conseguiu o dinheiro, foi liberado ao refém o celular para ele solicitar ajuda a algum familiar. Então o homem teve a ideia de pedir socorro para a esposa. Na troca de mensagens, os dois se declararam com apelidos carinhosos e o homem implorou para ela não contar nada a ninguém.

Esposa diz que em casa eles conversam (FOTO: DIVULGAÇÃO/ PCPR)

Esposa diz que em casa eles conversam (FOTO: DIVULGAÇÃO/ PCPR)

Segundo o delegado Rinaldo Ivanik, a vítima, foi mantida em cárcere privado por quatro dias. Antes da libertação pelos policiais, a família tentou entrar no local.

“A família tentou entrar na boate, foi impedida pelos proprietários e informada que só saia se ele pagasse. Esta história de livre circulação dele é mentira. A família procurou a polícia e chegando no local ele estava preso em um quarto a portas fechadas”, conta o delegado.

No local, o homem estava preso em um quarto com uma acompanhante e dois ou três seguranças que mantinham posse da chave. De acordo com a vítima, ele já havia pago aproximadamente R$ 9 mil e os proprietários estavam cobrando mais R$ 20 mil.

O delegado suspeita que o valor possa ser por extorsão, ou então pelo comércio de drogas. “Ele relata que teve muita cocaína, muita bebida, fornecida inclusive pela dona da boate. Talvez seja esse o valor da dívida, pela cocaína”, relata Ivanik.

Homem estava com medo de morrer na boate

Segundo informações, durante o cárcere o homem estava com muito medo de ser morto, por isso a demora para entrar em contato com polícia. Após a abordagem dos militares, seis pessoas acabaram presas.

Felipe Pedroso Canedo de Oliveira, 21, Bruna Teixeira Diniz, 23, Ana Claudia dos Santos Valentin, 28 anos, Cristiane de Souza Paiva, 32 anos, Saulo Nunes Guimarães, 37 anos e Catia Alves, 37, são os suspeitos do crime praticado na última quinta-feira (16) no bairro Sítio Cercado.

(FOTO: DIVULGAÇÃO/ PCPR)

(FOTO: DIVULGAÇÃO/ PCPR)

Os suspeitos devem responder pelo crime de extorsão e cárcere privado, com agravante por terem mantido o refém por mais de 24 horas.