Segurança

Quatro funcionários são mantidos reféns em rebelião na Penitenciária de Ponta Grossa

Ainda não se sabe o que os presos pretendem negociar com o motim. Uma equipe de negociação do Bope, da Polícia Militar, deverá iniciar conversa com os presos.

Giselle
Giselle Ulbrich
Quatro funcionários são mantidos reféns em rebelião na Penitenciária de Ponta Grossa
Foto: Leocadio Miranda/Depen

8 de junho de 2021 - 18:13 - Atualizado em 8 de junho de 2021 - 18:13

Uma rebelião na Penitenciária Estadual de Ponta Grossa (PEPG) mantém quatro trabalhadores reféns neste momento. Tratam-se de quatro funcionários de uma empresa de calçados, que possui fábrica dentro da PEPG. Até o momento, não há registro de feridos.

Conforme o Departamento Penitenciário do Paraná (Depen), o motim começou por volta das 16h desta terça-feira (08). Três presos iniciaram a confusão e tomaram os quatro funcionários como reféns.

O local foi isolado pela equipe do Serviço de Operações Especiais (SOE) do Depen e demais agentes penitenciários de plantão. O motim está contido no interior da fábrica e não atinge o restante da penitenciária.

O motivo pelo qual os presos iniciaram o motim e o que eles pretendem conseguir com a rebelião ainda é desconhecido. Uma equipe de negociação do BOPE, da Polícia Militar, esta a caminho para dar início as negociações.

Mais informações em breve.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.