Segurança

Polícia traça o perfil do suspeito de matar cinco pessoas na creche em Saudades (SC)

 

Segundo as investigações, cada uma das cinco vítimas fatais recebeu pelo menos cinco golpes de espada katana

Aline
Aline Taveira / Produtora
Polícia traça o perfil do suspeito de matar cinco pessoas na creche em Saudades (SC)
O suspeito tem 18 anos e está internado. (Foto: Reprodução)

5 de maio de 2021 - 10:57 - Atualizado em 5 de maio de 2021 - 11:01

Em coletiva de imprensa, a Polícia Civil de Santa Catarina, informou mais detalhes sobre o perfil de Fabiano Kipper Mai, de 18 anos, suspeito de matar cinco pessoas com golpes de faca em uma creche na última terça-feira (4), no município de Saudades, no oeste catarinense. Segundo o delegado, o jovem tinha perfil mais quieto e não costumava sair muito de casa. 

De acordo com o delegado Jerônimo Marçal Ferreira, ele invadiu a Escola Infantil Pró-Infância Aquarela e feriu uma professora logo na entrada da unidade. Ela teria então corrido para a sala onde estavam quatro crianças, todas menores de dois anos, e ele o acompanhou e feriu os bebês. Além deles, o suspeito atacou uma agente de saúde que fazia um trabalho no local no momento do crime.

“Pelas informações que colhemos até aqui, o que temos é que era um rapaz problemático, vinha enfrentando bullying na escola, maltratava animais, era introspectivo”, contou o delegado.

Logo depois do ataque, ele teria tentado tirar a própria vida, mas não conseguiu e foi levado ao hospital em estado grave. Ele foi transferido com escolta para Chapecó e está hospitalizado. Segundo as autoridades, ele não corre mais risco de vida.

“Um perfil que já não é mais tão incomum, o jovem que se tranca no quarto e a família não sabe o que ele está fazendo no computador. Ele tinha alguns problemas dentro de casa e, de acordo com familiares, não queria mais ir para a escola”, explicou o delegado. 

A espada katana usada no crime foi apreendida pela Polícia (Foto: Reprodução)

O delegado afirma ainda que, até o momento, as análises indicam para uma ação com motivação solitária e sem conhecimento de ninguém.

 “Não se abria, era ‘quietão’, não tinha celular, não tinha namorada. Se afastou dos poucos amigos que tinha nos últimos dias. Ninguém da família imaginava que ele ia fazer isso. Inclusive, as informações dão conta de que ninguém sabia e ninguém ajudou”, explicou o delegado.

As armas utilizadas no ataque, uma faca e uma espada katana, segundo o chefe da investigação, foram compradas recentemente pelo jovem. “Inclusive, a irmã dele perguntou o que ele iria fazer com as armas e ele disse, em tom de brincadeira, que era para maltratar um animal que ela tinha em casa”, pontuou. “Foram duas armas brancas, uma maior e uma menor. O Instituto Geral de Perícias nos passou que ele usou a maior, a outra tinha com ele, mas não chegou a ser utilizada”.

De acordo com o Instituto Geral de Perícias – IGP – cada uma das cinco vítimas fatais recebeu pelo menos cinco golpes com a arma branca usada pelo autor do ataque. 

“Bebês foram esfaqueados nas costas, abdômen e cabeça. A professora morta foi atingida nas costas e pernas. A agente educacional foi atingida no abdômen”, informou.

O velório coletivo em Saudades, no Oeste de Santa Catarina, iniciou ainda na madrugada desta quarta-feira (5). Os corpos da professora Kelli Adriane e da agente educacional Mirla Renner chegaram à 1h da madrugada. Já os corpos das crianças Sarah Luiza Mahle Sehn, Anna Bela Fernandes de Barros e Murilo Massing chegaram ao local por volta das 3h30.