Segurança

Polícia prende 5 funcionários suspeitos de desvio de R$ 15 mi em peças de multinacional, em São José dos Pinhais

Esquema envolvia um gestor que trabalhava na empresa desde 2017

Guilherme
Guilherme Becker / Editor com informações da repórter Thaís Travençoli, da RIC Record TV
Polícia prende 5 funcionários suspeitos de desvio de R$ 15 mi em peças de multinacional, em São José dos Pinhais
(Foto: Divulgação/ PCPR)

19 de julho de 2021 - 11:28 - Atualizado em 19 de julho de 2021 - 12:43

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) realizou uma operação contra funcionários suspeitos de cometerem desvios em uma multinacional de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. De acordo com o delegado Fábio Machado, as investigações tiveram início numa linha de receptação e o crime era cometido desde 2017. A estimativa é que R$ 15 milhões em peças tenham sido desviados.

Ainda segundo a investigação, a empresa suspeitava de irregularidades e auxiliou o trabalho da PCPR. Os  suspeitos detidos são: um gestor – que seria um dos líderes do esquema -, dois supervisores e outros dois funcionários.

Os profissionais suspeitos da multinacional desviavam peças da empresa e encaminhavam os produtos para receptadores, que comercializavam os produtos no mercado paralelo.

“A Polícia Civil prendeu na tarde de sexta-feira (16), cinco funcionários de uma multinacional de São José dos Pinhais, que estariam desviando produtos da empresa. Estes funcionários fraudavam notas fiscais e encaminhavam a receptadores estes produtos. Ao todo a carga apreendida foi avaliada em R$ 800 mil”,

esclareceu o delegado Fábio Machado, da Delegacia de São José dos Pinhais.

Na manhã da última sexta-feira (16), durante a operação, os policiais flagraram uma ação dos suspeitos. A carga apreendida foi avaliada em R$ 800 mil e os cinco funcionários foram presos em flagrante.

De acordo com Machado, a investigação durou quatro meses. Os funcionários presos vão responder pelos crimes de furto mediante fraude e associação criminosa. Caso sejam condenados podem pegar pena superior a 10 anos.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.