Notícias

Polícia investiga fraudes em lojas franqueadas de operadora telefônica

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

11 de abril de 2018 - 00:00 - Atualizado em 11 de abril de 2018 - 00:00

Tanto os clientes como a operadora de telefone eram enganados no processo. (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)

As franqueadas utilizavam os cadastros dos clientes para mudar automaticamente os planos de telefonia, sem o conhecimento dos responsáveis pela linha

*Com informações de Leandro Souza, repórter da RICTV Oeste

A Polícia Civil deflagrou nesta terça-feira (10) uma operação para apurar fraudes em lojas franqueadas de uma operadora telefônica. Nove mandados de busca foram cumpridos em quatro cidades do Paraná.

Em Cascavel, no oeste, os policiais cumpriram os mandados na loja franqueada e nas casas do gerente e de funcionários. Em Umuarama, no norte, onde funciona a sede da rede de lojas e também a casa do proprietário. Em Maringá, no norte e em Curitiba, capital.

O proprietário foi detido na hora, mas por outro motivo. Contra ele havia um mandado de prisão por atraso no pagamento de uma pensão alimentícia.

Investigações

As investigações começaram após a denúncia de uma funcionária de Cascavel. Ao setor de estelionatos da Polícia Civil, ela teria informado que as cédulas de identidade dos próprios clientes da empresa de telefonia eram falsificadas.

De acordo com as investigações, as franqueadas utilizavam os cadastros dos clientes para mudar automaticamente os planos de telefonia, sem o conhecimento dos responsáveis pela linha. A empresa também era enganada porque oferecia bonificações aos franqueados. “Esses dados eram pegos do sistema da [empresa de telefonia]. Dentro do computador se montava esse RG para que fosse essa documentação enviada a empresa e fizessem as alterações”, contou Rodrigo Baptista Santos,delegado da Polícia Civil.

Além de documentos e computadores, os policiais civis encontraram na loja de Cascavel 25 carteiras de identidade já prontas para alteração de planos.

A polícia calcula que uma média de 800 falsificações era feitas por mês entre todas as lojas da franquia.

Assista à reportagem completa:

Leia também: