Notícias

Pedidos de vistorias ao Corpo de Bombeiros aumentaram 60%

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

19 de fevereiro de 2013 - 00:00 - Atualizado em 19 de fevereiro de 2013 - 00:00

O comandante do Corpo de Bombeiros do Paraná, coronel Luiz Henrique Pombo do Nascimento, afirmou durante audiência na Assembleia Legislativa, que os pedidos de vistorias em estabelecimentos comerciais e casas noturnas cresceram 60% no Estado após a tragédia ocorrida em Santa Maria (RS).

O coronel lembrou que 270 bombeiros estão destacados para realizar vistorias no Paraná. Além disso, parte do efetivo em serviço nos quartéis também está atendendo à demanda. “A ampliação do efetivo vai reduzir significativamente o tempo para a realização de vistorias”, disse.

O Corpo de Bombeiros conta hoje com um contingente de 3.392 profissionais em todo o Estado e a meta é chegar a 4.251 integrantes até meados do ano que vem. “O governo estadual não contratava novos bombeiros há seis anos”, afirmo o comandante.

Fiscalização no Paraná

Desde a tragédia ocorrida na cidade gaúcha, as equipes de fiscalização passaram a atuar com maior rigor na vistoria de estabelecimentos comerciais e casas noturnas.

Fabio Aguayo, presidente da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas do Paraná (Abrabar-PR), recomenda que seus associados se antecipem às exigências da fiscalização para evitar problemas futuros

Em Curitiba, desde o início das operações da Ação Integrada de Fiscalização Urbana (AIFU) em 2013, 11 casas noturnas foram fechadas.

No litoral do estado, somente em 2013, as ações da AIFU em Matinhos (PR) resultaram em quatro estabelecimentos fechados por irregularidades, um deles um Parque de diversões.

Em Londrina, mais de 15 estabelecimentos foram vistoriados e quatro deles fechados pela fiscalização.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.