Segurança

Família do Paraná pede ajuda para trazer corpo de mulher assassinada pelo marido na França

O filho do casal, de 2 anos, e o enteado de Rodrigo, de 4 anos, foram deixados na casa do patrão dele e agora estão sob os cuidados da justiça francesa; família também quer trazê-los para o Brasil

Gabriel
Gabriel Trevisan
Família do Paraná pede ajuda para trazer corpo de mulher assassinada pelo marido na França
Foto: Reprodução

28 de setembro de 2020 - 16:48 - Atualizado em 28 de setembro de 2020 - 18:12

A paranaense Franciele Alves da Silva, de 29 anos, foi assassinada pelo marido, Rodrigo Martim, 27 anos, na última sexta-feira (25) em Champigny-sur-Mane, na região de Paris.

A jovem foi encontrada morta no apartamento onde vivia, há dois anos, com o marido, também brasileiro, e os dois filhos do casal. Ela é de Maringá, no noroeste do Paraná. Eles viviam ilegalmente na Europa.

O filho do casal, de 2 anos, e o enteado de Rodrigo, de 4 anos, foram deixados na casa do patrão dele e agora estão sob os cuidados da justiça francesa.

Desolados com o assassinato da jovem, familiares resolveram fazer uma campanha para trazer os dois filhos de Franciele, e o corpo de volta ao Brasil.

FEMINICÍDIO

Segundo a Rádio França Internacional (RDI), o marido de Franciele se entregou à polícia na noite de sábado (26), após passar 24 horas foragido. Preso para interrogatório, Rodrigo acabou confessando o crime.

Ainda de acordo com a RFI, uma vizinha de Franciele teria acionado a polícia, que encontrou a paranaense ainda com vida. Ferida com uma faca cravada no tórax e outros três cortes na parte inferior do corpo, Franciele chegou a ser socorrida com vida mas não resistiu aos ferimentos.

Franciele alves e o marido moravam juntos há cinco anos. Eles se casaram em Paiçandu, no interior do Paraná.

Há meses Franciele se queixava a família que a relação com o marido não ia bem. Ela chegou a publicar em uma rede social um texto que inspira mulheres a terminarem relacionamentos abusivos. Em um trecho ela sugere:

“Se ame e não case com a morte”.

CAMPANHA

Em uma publicação no Facebook, o irmão de Franciele, Leandro Miller, pediu solidariedade da população para trazer o corpo da irmã de volta.

“ Precisamos lutar por justiça e trazer nossa estrela de volta para casa junto com nossos meninos. Por favor nos ajudem!!!!”, escreveu na publicação.

Para doar qualquer quantia e ajudar no translado do corpo e para trazer os sobrinhos de volta para o Brasil basta clicar aqui.