Segurança

Pai é suspeito provocar incêndio e matar os três filhos adotivos

Os irmãos Fernanda, de 14 anos, Gabriel, de 9 anos, e Lorenzo, que iria completar 2 anos, morreram carbonizados

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com R7
Pai é suspeito provocar incêndio e matar os três filhos adotivos
Foto: Reprodução/Record TV

18 de fevereiro de 2021 - 18:36 - Atualizado em 18 de fevereiro de 2021 - 18:37

Ricardo Reis de Faria e Vieira, de 33 anos, foi preso por suspeita de ter provocado o incêndio que matou seus três filhos adotivos na madrugada desta quarta-feira (17) em Poá, na Grande São Paulo. As vítimas estavam trancadas no quarto e morreram carbonizadas. 

Segundo o Corpo de Bombeiros, o incêndio atingiu principalmente o quarto dos irmãos Fernanda, de 14 anos, Gabriel, de 9 anos, e Lorenzo, que iria completar 2 anos. O socorro foi chamado por uma vizinha que ouviu gritos e percebeu as chamas na residência. 

A voz que pedia ajuda era feminina, o que leva polícia a acreditar que Fernanda era quem estava gritando. A menina foi encontrada morta perto de uma janela com grades. 

O pai dos irmãos passou a ser suspeito pelo crime depois de apresentar três versões diferentes sobre o que teria ocorrido. Primeiro, afirmou que percebeu a fumaça e tentou salvar os filhos, mas como a porta estava trancada e ele havia tomado calmantes para dormir, não conseguiu fazer nada. 

Conforme a polícia, aparentemente transtornado, em certo momento, ele chegou a dizer que os filhos haviam sido raptados e não estavam em casa. Também declarou que seu ex-marido poderia ser o culpado pelo incêndio e também que a adolescente teria provocado as chamas

“Ele disse que acordou em razão da fumaça e foi imediatamente à porta que dá acesso ao quarto das crianças. Viu pela brecha da porta uma luz, tentou arrombar a porta e não conseguiu. Foi então para o corredor desta casa, onde a janela do quarto das crianças dá, tem grades, e segundo ele, constatou as chamas e não viu as crianças e não havia nenhum pedido de socorro. Isso motivou ele a ir até delegacia que fica na rua de trás”, explicou um dos investigadores. 

Oito viaturas foram acionadas para combater as chamas na residência da família. A Polícia Civil aguarda o resultado da perícia para entender o que causou o incêndio.

Família feliz

Ricardo adotou Gabriel quando ele tinha menos de um ano e, logo depois, também acolheu Fernanda, que era irmã biológica do menino. Já Lorenzo entrou para a família quando tinha dois meses de idade. 

Nas redes sociais, Ricardo costumava postar foto com os filhos e pareciam ser uma família feliz. No entanto, seu ex-marido contou, à RIC Record TV, que os dois haviam acabado um relacionamento de quase 16 anos nos últimos três meses. Desde então, viviam em casas separadas e compartilhavam a guarda dos filhos adotivos. 

Ricardo, que teria provocado o fim do relacionamento após uma traição, não se conformava e vinha dizendo que não fazia sentido viver se a família unida

Assista à reportagem:

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.