Segurança

Operação Fake Adress: PF cumpre mandado em gabinete de vereadora de Pinhais

Há pelo menos 75 casos suspeitos identificado pela 188ª Zona Eleitoral de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba

Guilherme
Guilherme Becker / Editor com informações da Agência Brasil
Operação Fake Adress: PF cumpre mandado em gabinete de vereadora de Pinhais
(FOTO: MARCELO CAMARGO/ AGÊNCIA BRASIL)

14 de outubro de 2020 - 09:22 - Atualizado em 14 de outubro de 2020 - 09:22

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (14) a Operação Fake Adress, com o objetivo de investigar transferências de domicílio eleitoral suspeitas, devido ao uso de comprovantes de endereços falsificados. De acordo com os investigadores, há pelo menos 75 casos suspeitos identificado pela 188ª Zona Eleitoral de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Os suspeitos que teriam se aproveitado do fato de a Justiça Eleitoral ter permitido, devido à pandemia, que transferências de domicílio eleitoral fossem feitas por meio do sistema eletrônico Titulonet.

Neste momento estão sendo cumpridos quatro mandados de busca e apreensão em endereços de investigados – entre eles no gabinete de uma vereadora na Câmara Municipal de Pinhais. Há, segundo a PF, evidências de que a estrutura dessa casa legislativa tenha sido usada para a prática de crime.

“Durante as investigações foi possível vincular tais pedidos a assessores de vereadora em exercício e candidata à reeleição”, informou por meio de nota a PF.

Diante da situação, um inquérito policial foi instaurado em junho de 2020, após tratamento inicial dos requerimentos pelo Juízo Eleitoral, bem como pela análise e reunião de informações complementares pelo Ministério Público Eleitoral.

Segundo a PF, além de terem sido feitas transferências irregulares de domicílios, com utilização de documentação falsa, há indícios de que as multas eleitorais dos títulos com situação eleitoral irregular foram pagas pelos investigados.