Segurança

“O que ela fez, não se faz com ninguém”: diz mãe de bebê que quase foi raptado em hospital; assista

A mãe de Davi informou que não conhecia a suspeita, que tudo aconteceu muito rápido e que ainda estava com medo. Ela também agradeceu a equipe do Hospital do Trabalhador pelo atendimento

Daniela
Daniela Borsuk
“O que ela fez, não se faz com ninguém”: diz mãe de bebê que quase foi raptado em hospital; assista
(Foto: Reprodução)

14 de julho de 2021 - 11:32 - Atualizado em 14 de julho de 2021 - 11:32

Após quase ter seu filho recém-nascido raptado no Hospital do Trabalhador, Pâmela Assunção contou como foi abordada pela suspeita, Talita Meireles. Depois do susto, Pâmela ainda acalmou amigos e familiares, dizendo que ela e o bebê estão bem, e agradeceu a equipe da unidade hospitalar, que impediu que o crime se concretizasse. A situação foi registrada na noite de segunda-feira (12), em Curitiba.

Em um vídeo, Pâmela relatou que estava com o filho no quarto do hospital, quando Talita apareceu vestida com as mesmas roupas usadas pelas enfermeiras da unidade e disse que levaria o bebê da vítima para fazer um exame.

“Eu tava no quarto com o meu filho, sozinha, eu e ele, chegou essa mulher vestida de enfermeira e falou que o Davi ia fazer um exame. Eu perguntei se eu não precisava ir junto, ela disse que não, que o exame ia ser rápido, em torno de cinco minutos. Eu falei ‘tudo bem’ porque ela estava com roupa igual à das moças que estavam trabalhando e eu acreditei nela.” 

Disse Pâmela.

Porém, após passar mais tempo, a vítima começou a estranhar a demora e saiu do quarto para procurar o filho. Ao questionar uma funcionária do hospital, a surpresa: Davi por pouco não havia sido raptado. “Eu vi que estava demorando muito e desci para perguntar, foi aí que a moça me informou que tinha uma mulher lá embaixo tentando sair com um bebê. E era o meu filho”, relatou Pâmela.

A mãe de Davi informou que não conhecia a suspeita, que tudo aconteceu muito rápido e que ainda estava com medo. Ela também agradeceu a equipe do Hospital do Trabalhador pelo atendimento. Em nota, o hospital informou que o rapto foi impedido graças aos procedimentos de segurança da unidade. Clique aqui e leia na íntegra.

“Graças a Deus não deu tempo de ela levar, agradecer as moças que estavam trabalhando lá embaixo e que seguraram ela […] que ela continue presa, porque o que ela fez não se faz com ninguém”. 

desabafou Pâmela.

Confira o relato de Pâmela:

Rapto

Talita Meireles, de 23 anos, foi presa na segunda-feira (12), depois de ser flagrada por vigilantes do hospital, que desconfiaram do fato da jovem estar sem a pulseira de internação usada para controle da unidade. Câmeras de segurança gravaram a suspeita andando com o bebê no colo, tentando deixar o hospital.

Veja o vídeo:

Na delegacia, a jovem deu depoimento e argumentou que sofreu um aborto recentemente e que não queria contar para a família sobre a perda.

“Eu não sei o que deu na minha cabeça para entrar no hospital, eu entrei, aí comecei a olhar os nenês, começou a me dar um negócio na cabeça. Eu não sei porque eu fiz isso. Eu entrei no vestiário e tinha uma roupa jogada em cima do armário, aí eu peguei e coloquei. Daí eu não sei o que aconteceu comigo, eu fui olhar as crianças, eu comecei a olhar, aí eu queria pegar o nenê no colo e quando eu vi, já aconteceu. Eu não queria fazer nenhuma maldade, não queria causar nada”.

Disse Talita.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.