Segurança

Justiça remarca júri de Luis Felipe Manvailer

O biólogo é acusado de feminicídio e fraude processual, mas alega que a esposa teria cometido suicídio

Guilherme
Guilherme Barchik
Justiça remarca júri de Luis Felipe Manvailer
Foto: Reprodução/Facebook.

17 de fevereiro de 2021 - 08:38 - Atualizado em 17 de fevereiro de 2021 - 12:12

A Justiça do Estado do Paraná remarcou o júri de Luis Felipe Manvailer. A nova data da Sessão de Julgamento vai acontecer no dia 04 de maio de 2021, às 9 horas da manhã, no Fórum da Comarca de Guarapuava, no oeste do Paraná.

Manvailer teve o julgamento adiado por três vezes, uma delas por quesitos técnicos e outra em razão da suspeita de covid-19 de um dos advogados do caso. Na última vez, a defesa de Manvailer solicitou imagens que estavam no HD de provas, mas que não haviam sido previamente selecionadas. O juiz não autorizou que os advogados procurassem as imagens durante a sessão e, após uma intervenção do Ministério Público do Paraná, a defesa do réu decidiu abandonar o julgamento

O Ministério Público do Paraná ainda multou os advogados de defesa com o valor de 100 salários mínimos. A decisão da multa ainda cabe recurso.

Diante das manobras da defesa do réu, o juiz Adriano Scuissiato Eyng nomeou um defensor dativo para acompanhar o caso. Na decisão, o magistrado justifica a decisão como “medida de cautela absolutamente necessária no caso dos autos a fim de evitar condutas similares que, de maneira injustificada e protelatória, impeçam que o caso seja submetido ao julgamento popular”. Assim, caso haja outro abandono injustificado de Plenário ou outra conduta processual similar, não será necessária a dissolução do Conselho de Sentença.

Lado da acusação

Para o advogado Gustavo Scandelari, da Dotti e Advogados, assistente de acusação, a decisão foi correta e a confiança é de uma sentença condenatória. “Em decisão que explica detalhadamente a ausência de justificativa para o abandono pela defesa, o Judiciário nomeou defensores dativos para a próxima sessão, evitando-se novas medidas protelatórias pela defesa. Ainda, manteve Manvailer preso. A família lamenta os sucessivos atrasos, mas segue aguardando o julgamento pelo Júri de Guarapuava, esperançosa em uma condenação a pena alta”, afirma.

Lado da defesa

A defesa de Manvailer informou que estará pronta para participar do julgamento, rogando apenas para que as regras do devido processo legal sejam observadas, com imparcialidade e mediante a admissão do uso das provas constantes nos autos de processo-crime, providências e posturas que são as mais básicas para que possa existir um julgamento minimamente justo, pois calar a defesa é impedir a justiça.

Relembre o caso 

Na noite de 21 de julho de 2018, câmeras de segurança flagraram o casal, Luis Felipe Manvailer, de 32 anos, e Tatiane Spitzner, de 29 anos, em uma discussão dentro do carro de Tatiane, enquanto chegavam no apartamento onde moravam, em Guarapuava. Nas imagens, é possível observar o momento em que Tatiane tenta se desvencilhar do marido, que a obriga a entrar no elevador que leva ao apartamento. 

Já durante a madrugada do dia 22, as câmeras registraram Tatiane caindo da sacada do apartamento, no quarto andar do prédio, e na sequência Manvailer indo até a calçada onde estava o corpo. O vídeo mostra ele arrastando a esposa até o elevador e depois, com outra roupa, limpando o local sujo com marcas de sangue.

Manvailer fugiu e foi preso após bater o carro próximo da divisa com o Paraguai, em São Miguel do Oeste. O corpo de Tatiane foi encontrado dentro do apartamento.

Para a polícia, Manvailer sustentou a versão de que Tatiane teria se jogado da sacada do prédio. No entanto, o laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou que a causa da morte foi por asfixia mecânica, provocada por esganadura e com sinais de crueldade. Além disso, testemunhas também relataram um relacionamento complicado do casal, com comportamentos violentos por parte de Manvailer. 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.