Notícias

Mulher morta em Piraquara trabalhava como terapeuta ocupacional em unidade prisional da região

Renata
Renata Nicolli Nasrala / Editora
Mulher morta em Piraquara trabalhava como terapeuta ocupacional em unidade prisional da região
Mulher morta em Piraquara trabalhava como terapeuta ocupacional. (Foto: reprodução arquivo pessoal)

7 de junho de 2019 - 00:00 - Atualizado em 7 de junho de 2019 - 00:00

Uma mulher foi encontrada morta na tarde desta quinta-feira (6), nos fundos da Colônia Penal Agrícola, em Piraquara, na região metropolitana de Curitiba.

Identificada como Aline Miotto Nadolny, de 27 anos, a vítima trabalhava como terapeuta ocupacional em uma unidade prisional próximo ao local onde o corpo foi encontrado.

Mulher morta em Piraquara trabalhava como terapeuta ocupacional

De acordo com a investigação, a principal suspeita é que Aline tenha sido morta por um preso. Conforme Job de Freitas, superintendente da Delegacia de Piraquara, tudo indica que a vítima foi estrangulada pelo criminoso com o próprio cachecol.

Provavelmente é alguém ligado ao presídio que cometeu esse homicídio. A Polícia Civil tá investigando o caso para descobrir o que ela estaria fazendo naquele local e qual teria sido o motivo”, afirmou o superintendente.

"Provavelmente é alguém ligado ao presídio que cometeu esse homicídio". (Foto: reprodução das redes sociais)

“Provavelmente é alguém ligado ao presídio que cometeu esse homicídio”. (Foto: reprodução das redes sociais)

Latrocínio foi descartado

Além disso, conforme o superintendente, um caso de latrocínio – roubo seguido de morte, já foi descartado. “Totalmente descartada essa posição, devido ao fato que a vítima utilizava aliança de ouro, brincos, tinha joias em seu corpo, e geralmente quem vai praticar esse tipo de crime acaba levando”.

Velório

Dessa maneira, o velório da vítima deve acontecer nesta sexta-feira (7), a partir das 17h, na capela Mortuária de São Lourenço do Oeste, em Santa Catarina.

Vítima havia se formado recentemente. (Foto: reprodução arquivo pessoal)

Vítima havia se formado recentemente. (Foto: reprodução arquivo pessoal)

Veja reportagem completa