Segurança

Mulher de 103 anos é encontrada morta em lar de idosos com sinais de violência

Pela manhã, socorristas foram chamadas na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para falar sobre o caso

Daniela
Daniela Borsuk com informações do repórter Tiago Silva, da RIC Record TV
Mulher de 103 anos é encontrada morta em lar de idosos com sinais de violência
(Foto: Tiago Silva/ Record TV Curitiba)

2 de julho de 2021 - 12:14 - Atualizado em 2 de julho de 2021 - 12:46

Uma mulher, de 103 anos, foi encontrada morta com sinais de agressão e violência na manhã desta sexta-feira (2), em um lar de idosos localizado na Rua Gilda Pitarch Forcadell, no bairro Uberaba, em Curitiba.

O Siate e o médico do Samu chegaram a ser acionados no local, mas a vítima não resistiu aos ferimentos. Ainda não há informações sobre quem seria o suspeito e nem a motivação do crime.

Pela manhã, socorristas foram chamadas na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para falar sobre o caso. O corpo da idosa foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) da capital paranaense.

Pelo menos 15 idosos vivem no lar de idosos, que é uma casa de repouso para pessoas da terceira idade.

Atualização

De acordo com o delegado responsável pelo caso,  Tito Barichello, a equipe foi procurada por um médico do Samu. “Um médico do Samu que procurou a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa e informou que havia indícios de lesões dolosas nesta vítima, ela tem lesões na cabeça e lesões na perna”, disse o delegado.

“Mas nós temos que ter muito cuidado neste momento, ainda é prematuro, porque apesar dessas lesões é uma senhora de 103 anos de idade, é uma cama que tem grades do lado, e o cuidador, que também é o proprietário, afirma que ela se debateu muito à noite”.

Explicou Barichello.

Ainda, outro ponto de destaque a ser investigado foi uma informação do cuidador da idosa, que afirmou que lavou o local do crime. Além disso, um curativo foi feito na idosa após a morte, conforme o delegado.

“Essa é uma situação anormal, que não se mexe em local de crime, ou local de morte. Então se espera, em regra, o Samu, se espera a polícia se houver indício de crime, mas esse proprietário ele lavou, ele trocou a vítima. Ela em óbito teve a roupa trocada, teve a roupa limpa, então as duas coisas que nos chamam a atenção, que nós podemos afirma com veemência, é a questão do médico que nos deu um parecer, não é um laudo, é um parecer, e a questão agora de ter sido mexido no corpo”.

destacou o delegado.

Porém, apenas o laudo do IML poderá confirmar a causa da morte. A Polícia Civil fez ainda uma análise na casa de repouso e o delegado Tito relatou que não há indícios de maus-tratos ou irregularidades no lar de idosos, inclusive com outros hóspedes que moram na casa.

A idosa estava hospedada na clínica há seis anos. Um neto da vítima, que comparecia mensalmente no local para fazer pagamentos e levar fraldas, contou que nunca percebeu nenhum sinal de agressões ou violência durante as visitas.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.