Segurança

Motorista que fugiu a pé após colidir em motocicleta se apresenta na delegacia

O carro estava na contramão quando bateu na moto; o motociclista está internado em estado gravíssimo em uma Unidade de Tratamento Intensivo

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com reportagem de Lucio Andre e Daniela Servieri da RIC Record TV, Curitiba
Motorista que fugiu a pé após colidir em motocicleta se apresenta na delegacia
Foto: Reprodução/Câmera de segurança

17 de fevereiro de 2021 - 19:22 - Atualizado em 17 de fevereiro de 2021 - 19:34

O motorista que fugiu a pé após bater o veículo que conduzia contra um moto na rua João Bettega, na Cidade Industrial de Curitiba, durante a noite de terça-feira (16), se apresentou na delegacia no final da tarde desta quarta-feira (17). Tanto ele como os ocupantes do carro deixaram a vítima agonizando no meio da via e foram embora. 

Felipe Camargo Ferreira chegou na Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran) acompanhado de dois advogados, prestou depoimento e foi liberado. Ele preferiu não gravar entrevista.

Além do condutor, uma testemunha também foi até o local para colaborar com a investigação. O relato do rapaz só corrobora tudo o que foi registrado por câmeras de segurança: o carro estava na contramão quando atingiu a moto.

“O carro veio na contramão. Nisso que ele veio na contramão, ele jogou para o outro lado, fez zigue-zague, só que o motoqueiro foi para o mesmo lado. Daí, nisso que ele tentou jogar para outro lado, o motoboy pegou nele em cheio”, contou Brayan Gomes. 

Outra pessoa que presenciou o acidente conversou com a equipe da RIC Record TV e afirmou que os ocupantes do carro estavam bebendo e o condutor apresentava sinais de embriaguez.  

“Ele estava andando torto e na hora que ele saiu correndo estava torto. Estava bem bêbado, jogaram o copo, tinha gole dentro do carro, tinha narguilé, tinha tudo”, falou a mulher. 

Uma câmera de segurança registrou o acidente. Nas imagens, é possível ver que os ocupantes do veículo descem para ver o motociclista, mas, na sequência, o motorista sai correndo e abandona, inclusive, os amigos no local. Ainda conforme testemunhas, um carro branco buscou os passageiros algum tempo depois.

Veja o vídeo:

Motociclista corre risco de morte

O motociclista foi encaminhado ao Hospital do Trabalhador. Ele permanece internado em uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), em estado gravíssimo. Identificado como Paulo, o rapaz que é mecânico estava trabalhando como motoboy, durante a noite, para complementar sua renda e conseguir sustentar sua família. 

De acordo com Tais Caroline Boreto, esposa do motociclista, ela conseguiu encontrar o marido já no fim da madrugada. 

“Eu achei estranho, ele chega sempre no máximo onze pouquinho em casa. Eu falei com ele eram dez horas, para ele passar pegar um refrigerante e de repente ele sumiu. Não respondeu mais, não apareceu em casa. Deu meia-noite, meia-noite e meia, uma, uma e meia, quando foi três horas eu pedi para minha sogra para a gente ir atrás deles e a gente começou pelos hospitais. Quando a gente parou no Hospital do Trabalhador, a gente encontrou ele”, disse Tais. 

Emocionada, a jovem fez questão de ressaltar que não consegue entender como eles tiveram coragem de abandonar seu marido sem prestar socorro

“Eu não acredito, como conseguiram deixar ele jogado no chão como um nada. Eu não consigo entender isso. Não cai na minha cabeça como um ser humano pode fazer isso com outro. Não se faz isso nem um animal. […] E se eles não estivessem bêbados ou não tivesse nada de errado porque eles não ficaram ali pelo menos para dar uma assistência para o meu marido”, desabafou Tais. 

O delegado Leonardo Carneiro explicou que, a princípio, Felipe responderá pelos crimes de lesão corporal na direção de veículo automotor, omissão do socorro e fuga da responsabilidade

“Ele já está sendo investigado pelo crime de lesão corporal na direção de veículo automotor, somado com a causa de aumento de pena do fato da omissão do socorro e ainda pelo crime de fuga da responsabilidade civil ou penal. Podendo ele ainda, caso se comprove o uso de bebida alcoólica, ter sua lesão corporal qualificada pela embriaguez ao volante”, disse Carneiro. 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.